Tevez valeu por um time

A maior torcida do Estado, aquela que aglutina a parte mais sofrida da população, tem muito o que comemorar hoje. Graças ao atarracado ? 1,70m e 75 quilos ? argentino Carlos Alberto Tevez, um belo jogador de futebol. Alguém que rompeu ontem a última barreira de desconfiança que pudesse haver sobre seu futebol. Desconfiança das outras torcidas, porque a sua ele conquistou desde o anúncio da contratação.Em seu nono clássico, finalmente Tevez fez um gol. E justamente contra o Palmeiras, o maior rival. Um gol que vale tanto contra os outros 22 que havia marcado nas 42 partidas anteriores. Só como comparação, Roger e Rosinei, os vice-artilheiros do Corinthians têm 11 gols cada. Foi um golaço. Com vinte minutos, Tevez tocou de esquerda para a frente, deu um corte lateral para a direita, deixando Daniel para trás. Mais um toque que tornou inútil a chegada de Marcinho Guerreiro e o complemento para o gol. Mas não é apenas pelo gol que Tevez fascina a torcida. Seu comportamento guerreiro também. Ontem, por exemplo. Sofreu muitas faltas, como sempre. Em duas delas, Daniel e Roger levaram cartões amarelos. E a cada falta se levanta, sem reclamar. No final do jogo, para decepção de quem deseja ouvir um lamento, ele diz que tudo foi normal. ?Foi uma grande partida. Clássicos são assim mesmo, há um número maior de faltas. Mas o mais importanté é que os jogadores não foram violentos, não deram um exemplo ruim para a torcida.?O espírito de luta que Tevez tem durante todo o jogo é outro motivo de orgulho para a torcida. Durante todo o clássico ele foi a opção de contra-ataque, sempre esperando a bola na esquerda. Nem parecia que havia participado do jogo entre Argentina e Uruguai quarta-feira e na quinta enfrentado a dura marcação de Zé Elias.Os torcedores corintianos reconhecem quem lhes dá futebol e suor. Muitas vezes, historicamente, preferem o suor. Com Tevez, têm os dois. Ontem, gritavam alucinados a cada dividida, a cada drible, trombada, ou o que fosse. Os erros eram perdoados.Há quem o tenha visto cobrindo as avançadas de Gustavo Nery. Exagero? Pode ser, mas Tevez, com muito futebol e poucas palavras, ganha cada vez mais um lugar no coração da torcida.Na saída do jogo, foi econômico, como sempre. Aos repórteres que falavam em Corinthians campeão, foi direto.?Tomara que seja, tomara que seja. Vamos continuar lutando por isso.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.