Tevez vira unanimidade no Corinthians

Carlitos Tevez não é ídolo só da torcida corintiana. Em pouco mais de um mês no país, o argentino virou unanimidade também no Parque São Jorge. Tite está impressionado com a capacidade de adaptação do atacante e da bela relação que ele construiu com os companheiros de clube, apesar de uma certa timidez. Como se tudo isso não bastasse, o desempenho do craque em campo já se transformou em referência para o time. Hoje, Tite fez questão de dedicar um capítulo à parte a Carlitos. E já mandou separar algumas jogadas do argentino que mostram bem o seu ´sentido de equipe´. Numa delas, a imagem mostra Tevez perdendo a bola no campo de ataque, contra o Rio Branco, e revelam seu compromisso pessoal com o conjunto. Depois de perder a jogada, perseguiu o adversário por mais de quarenta metros e não sossegou enquanto não recuperou a posse de bola. A outra jogada foi no final da partida, quando o Corinthians vencia por 2 a 1 e precisava segurar o resultado. Em vez de fazer cera, tentando chamar uma falta, ele pediu a bola, foi até a linha lateral, pela esquerda, e manteve a equipe no ataque sem perder a posse de bola por quase dois minutos. "Isso sem contar no exemplo que ele transmite aos companheiros, com simples atitudes. Desde a sua chegada, ele nunca se colocou na posição de alguém superior, num dos melhores jogadores do mundo, que custou U$ 20 milhões. Ao contrário: está sempre dizendo que é mais um no grupo, que veio para colaborar. Sem nenhum exagero, ele já é um exemplo de comportamento aqui dentro". Prova maior de que Tevez está à vontade no Corinthians foi a sua atitude depois do primeiro gol contra o Rio Branco. Antes de comemorar com a torcida, o atacante saiu correndo na direção de Coelho, que estava na reserva, e abraçou o companheiro, mexendo o dedo indicador direito, como havia prometido. "Ele tinha prometido que faria um gol para mim e cumpriu a promessa, inclusive com o gesto (balançando o dedo indicador)", confirmou Coelho, que ainda acrescentou. "Olha, o cara é igualzinho a gente. Humilde, não tem frescura. Além disso, sabe que a nossa amizade é sincera. A garotada daqui, que tem a mesma idade dele, o recebeu de braços abertos. E ele sabe disso. Por isso está tão à vontade". Ainda com dificuldades para entender o português, Tevez tem ficado distante das entrevistas. Foi difícil para os jornalistas arrancarem uma declaração do craque na noite de quinta-feira, após a vitória sobre o Rio Branco, com dois gols do argentino. Mas ele acabou falando, meio de passagem. "Estou muito contente pela reação da torcida. O estádio (Pacaembu) estava parecido com a Bombonera (estádio do Boca)". Em seguida, falou um pouco sobre o clássico de domingo, contra o Santos. Tevez não acredita num jogo violento. Não acredito num jogo violento e eu acho que a nossa equipe pode ganhar do Santos". Quanto a um eventual duelo com Robinho, considerado a grande estrela do futebol brasileiro até a sua chegada ao Brasil, Carlitos Tevez preferiu repetir duas palavras que poderiam comprometê-lo."Vai ser tranqüilo, muito tranqüilo". Fora essa palavras, Tevez não manteve nenhum outro tipo de contato com os jornalistas no Corinthians. Por determinação da MSI, o argentino só fala uma vez com a imprensa no Parque São Jorge. A assessoria de imprensa do clube havia agendado uma entrevista para amanhã, após o treinamento recreativo na Fazendinha. Mas no final da tarde, hoje, surgiu a informação de que a coletiva, na verdade, será apenas uma declaração do craque sobre o clássico de domingo, na Vila.

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2005 | 20h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.