Thiago Alcântara viaja para Barcelona para operar joelho

Thiago Alcântara viaja para Barcelona para operar joelho

Meia espanhol naturalizado sofre nova lesão no mesmo local por problema de cicatrização. Diretor desmente discrepância médica

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 12h25

O meia Thiago Alcântara, que na semana passada voltou a lesionar o seu joelho direito com gravidade em um treino do Bayern de Munique, da Alemanha, será operado em Barcelona. A informação foi confirmada nesta segunda-feira pelo presidente do conselho diretor do clube alemão, Karl-Heinz Rummenigge, em entrevista coletiva na qual o dirigente também aproveitou para negar que tenham ocorrido conflitos internos em relação ao tratamento adotado para a recuperação do atleta.

Na semana passada, o jogador sofreu uma nova ruptura parcial dos ligamentos do joelho, já operado anteriormente, em uma dividida na qual lutava pela bola em um treinamento. O Bayern indicou que a lesão grave ocorreu por causa de um problema de cicatrização da lesão anterior, sendo que informações publicadas nos últimos dias na imprensa alemã davam conta de que teria havido discordância interna no tratamento aplicado antes de o meia voltar a se lesionar gravemente.

Segundo Rummenigge, a imprensa trouxe "falsidades" sobre o tema. Ele qualificou o caso envolvendo Thiago como um "acúmulo de desgraças", assim como assegurou não ter ocorrido "nenhuma discrepância médica" no tratamento do meio-campista.

A imprensa alemã relatou supostas divergências entre o técnico Pep Guardiola e o médico do Bayern, Hans-Wilhelm Müller Wohlfahrt. O treinador, aparentemente contra a opinião do profissional, autorizou o atleta a viajar para Espanha, em março, quando o meia recebeu injeções de cortisona. E, segundo alguns órgãos da mídia da Alemanha, as injeções teriam complicado a recuperação da lesão, que teve uma recaída e obrigou o atleta a passar por uma cirurgia em maio.

Por causa da operação, o atleta que é filho de Mazinho, tetracampeão mundial com a seleção brasileira em 1994, acabou não podendo defender a Espanha na Copa do Mundo de 2014. Rummenigge, porém, negou que as seguidas recaídas do jogador sejam de responsabilidade de médicos espanhóis ou alemães. O dirigente alega que o atleta tentou apressar sua recuperação para estar no Mundial, mas o plano fracassou.

Na última sexta-feira, o próprio Guardiola admitiu que pode ter errado ao ter autorizado a viagem de Thiago à Espanha para que ele fosse tratado com injeções de cortisona. Rummenigge, porém, diz que o Bayern tem plena confiança no médico espanhol que fará nova cirurgia no atleta, em data ainda a ser confirmada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.