Thiago Mendes adia decisão e Palmeiras e São Paulo aguardam

Thiago Mendes adia decisão e Palmeiras e São Paulo aguardam

Expectativa era de que o anúncio sobre onde ele vai jogar na próxima temporada fosse dado nesta quinta-feira

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2014 | 20h13

As diretorias de Goiás, Palmeiras e São Paulo esperavam definir a situação do volante Thiago Mendes nesta quinta-feira, mas o jogador resolveu adiar a decisão sobre onde irá jogar na próxima temporada e não deu previsão de quando anunciará seu destino. Ele até deixou no ar a possibilidade de ir atuar na Europa.

"É meio complicado falar neste momento. Tenho que ver com a família e meu empresário. Há a possibilidade de ficar no Brasil ou sair. Tem que ser bom para os dois lados e para minha família. Vamos sentar quando chegar em Goiânia e ver o que faremos", afirmou o volante, em entrevista à Rádio Globo. Além de Palmeiras e São Paulo, ele também é cobiçado por um clube da Ucrânia.

O fato de não anunciar seu futuro nesta quinta-feira deixou os dirigentes envolvidos surpresos, porque acreditavam que o jogador resolveria a situação o quanto antes. O presidente do Goiás, Sergio Rassi, conta com o dinheiro da transferência para quitar dívidas e tentar ir atrás de reforços.

Uma dos destaques do Goiás no Brasileirão, o jogador de 22 anos admitiu que não esperava ser tão cobiçado pelo que fez na temporada. "Está sendo diferente, nunca vivi isto na minha vida. Vamos dizer que assusta um pouco, mas está acontecendo, graças a Deus. É o que eu sempre queria. Estou feliz pelas propostas e espero mostrar um bom futebol", comentou.

Palmeiras e São Paulo ofereceram 1,8 milhão de euros (cerca de R$ 6 milhões) por 40% dos direitos econômicos do jogador, que pertencem ao Goiás. Ambas ofertas foram aceitas. Por isso, a decisão de onde vai atuar depende apenas do volante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasThiago Mendes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.