Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Thiago Neves admite falta de ritmo de jogo e 'libera' Fred de marcar no Cruzeiro

Time sofre no começo do ano por conta da curta pré-temporada

Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2018 | 13h46

Após o empate sem gols diante da Caldense em Poços de Calda, no último sábado, o Cruzeiro se reapresentou na manhã desta segunda-feira, na Toca da Raposa II, e treinou sem os jogadores considerados titulares, que apenas correram em volta do gramado. Os que não começaram o duelo pela segunda rodada do Campeonato Mineiro fizeram um treino técnico em campo reduzido.

+ Mano reclama de gramado, mas admite Cruzeiro com falta de ritmo

+ Cruzeiro decepciona e empata sem gols com a Caldense pelo Mineiro

Reserva na estreia - entrou na vaga de Arrascaeta no segundo tempo -, mas titular na partida em Poços de Caldas, o meia Thiago Neves ressaltou a dificuldade que teve no jogo em razão da pré-temporada curta e projetou estar 100% em breve.

"Quando você fica sem treinar, e eu fiquei cinco dias só na bicicleta, você perde o ritmo. Os demais estão em outra pegada. Senti muita dificuldade no jogo. Você começa jogando, mas até entrar no ritmo de todo mundo você cansa mais fácil, fica sem força para uma arrancada, uma jogada, fica com o pensamento lento. Foi bem difícil. Espero melhorar a cada dia e ganhar ritmo de jogo para daqui a pouco estar 100% e poder ajudar ainda mais", disse o meia.

Com dificuldade para recompor na marcação ainda devido à falta de ritmo de jogo ideal, Thiago Neves afirmou que tem consciência de que todos precisavam participar da marcação, mas revelou que "liberou" o companheiro Fred da função.

"Fizemos isso ano passado, marcávamos muito forte, bem. O Rafinha é um jogador que ajuda muito no ataque e na defesa. Precisamos continuar fazendo isso. Já falei com o Fred que não quero que ele fique voltando, prefiro correr mais, ajudar mais o time, e deixar o Fred mais à frente para fazer os gols, que é o que a gente precisa dele. Mas todos têm essa consciência de que precisam ajudar. Times que hoje ficam sem dois ou três ajudando na marcação não ganham".

Titular nas duas primeiras partidas do ano, o zagueiro Léo lembrou das dificuldades que todo time enfrenta no começo de temporada e enalteceu o sistema defensivo do time, que ainda não levou gols.

"Sabemos que vamos encontrar adversidades, algumas equipes difíceis, bem treinadas, que já estão se preparando há algum tempo. Cada vez mais estamos evoluindo e nos preparando como equipe para superar esses obstáculos", disse. "Nosso papel é transmitir segurança ali na parte defensiva, e nesses dois últimos jogos não tomamos gols, o que é importantíssimo".

Mais conteúdo sobre:
Cruzeiro Esporte Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.