Washington Alves / Cruzeiro
Washington Alves / Cruzeiro

Thiago Neves aposta com presidente que Cruzeiro vai ficar em quinto no Brasileiro

Meia também coloca meta de terminar o ano com 18 gols

Estadão Conteúdo

06 Novembro 2018 | 22h18

Campeão do Campeonato Mineiro, da Copa do Brasil e vaga assegurada na Copa Libertadores de 2019. Sem objetivo no Campeonato Brasileiro, Thiago Neves fez uma aposta com o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, para tentar motivar o elenco nos seis jogos finais da competição: o time vai terminar em quinto lugar.

"Não posso falar o que é a aposta, mas é uma apostinha que eu fiz com ele. Se a gente chegar em quinto, ele vai armar alguma coisinha para nós. Vamos brigar, tomara que a gente consiga porque depois tudo fica na minha mão", disse o jogador.

Com a intenção de se motivar, Thiago Neves colocou uma meta pessoal: somar 18 gols na temporada e ultrapassar a sua melhor marca, obtida no ano passado. Ele é o artilheiro da equipe, ao lado de Arrascaeta, com 15 gols marcados cada um na temporada.

"Nunca briguei por artilharia, nunca foi meu foco. Mas quero fazer mais que no ano passado. Isso mostra que vou melhorando a cada ano. Já nas assistências, dividiu com todo mundo esse ano", disse o jogador, que tem contrato com o Cruzeiro até o final de 2019.

"Estou em casa no Cruzeiro. A diretoria já está pensando em 2019 e eu tenho contrato, não tenho porque sair. Se chegar alguma coisa, vamos conversar. E espero que os outros também fiquem, pois o time é forte, o ano que vem vai ser o terceiro ano jogando juntos, com entrosamento afiado, assim podemos conquistar ainda mais no ano que vem", afirmou.

O Cruzeiro soma 46 pontos, assim como Santos e Atlético-MG. O jogador diz que não há uma disputa particular com o eterno rival. "Nosso objetivo não tem nada a ver com o Atlético. Queremos somar o máximo de pontos possível pela grandeza do clube e porque não podemos entrar em campo para brincar. Não pode ficar passeando. Os torcedores vão ao estádio para nos ver. Eles fazem o deles lá e a gente faz o nosso aqui. Depois vamos ver em qual posição terminamos. Eles já tinham uma boa vantagem na tabela, e a gente pensa jogo a jogo".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.