Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Thiago Neves considera vitória justa e valoriza vantagem do Cruzeiro na final

Meia marcou o gol da vitória celeste sobre o Corinthians, pela decisão da Copa do Brasil

Estadão Conteúdo

11 Outubro 2018 | 00h10

Considerado um dos melhores jogadores em campo na primeira partida da final da Copa do Brasil, o meia Thiago Neves considerou justa a vitória do Cruzeiro sobre o Corinthians, por 1 a 0, nesta noite de quarta-feira no Mineirão. E o jogador já foca no jogo de volta, na próxima quarta-feira, em São Paulo.

"Tivemos mais volume de jogo, principalmente no primeiro tempo. Criamos muitas chances e marcamos o gol. O importante foi vencer, porque agora nós temos a vantagem do empate. Mas nada está ganho ainda, porque faltam mais 90 minutos", comentou o destaque do jogo.

O meia disse que o Cruzeiro já esperava por um adversário bem fechado. "A gente queria jogar pelos lados, até para buscar os gols. Nossa preocupação era arrumar ânimo para fazer o gol. Fizemos uma partida bem tranquila, tivemos duas ou três chances para fazer o segundo ou terceiro", concluiu.

O zagueiro Dedé elogiou o adversário, mas também apontou a superioridade cruzeirense. "O Corinthians defendeu muito bem, mas nós também fomos bem na defesa e não demos espaço para os contra-ataques. Foi importante essa vantagem pra levar para lá, porque vai ser muito difícil segurar", ponderou.

O volante Henrique, por sua vez, previu mais dificuldades para o duelo de volta. "Vai ser um jogo duríssimo. Martelamos até fazer o gol. Acertamos bola na trave e o Cássio defendeu grandes bolas. Mas conseguimos o gol e vamos levar esta vantagem até o fim", prometeu.

Análise parecida com a do lateral Egídio, que também espera um Corinthians mais ofensivo em São Paulo. "Criamos diversas oportunidades e levamos uma vantagem boa para o segundo jogo. Se eles deram um chute em gol foi muito. Lá eles vão ter que propor o jogo. Nosso time foi bem no primeiro tempo e deu uma cansada no segundo tempo, mas valeu pela vitória."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.