Thiago Neves diz que não troca Fluminense por Palmeiras

'Eu me arrependo de ter mentido. Quero ficar no Flu', afirma o meia-atacante, revelação do Brasileirão

Juliano Costa, Jornal da Tarde

26 de outubro de 2007 | 15h19

Thiago Neves desprezou o Palmeiras. Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, o meia deixou claro que prefere ficar no Fluminense a se transferir para o Verdão. Ele também se desculpou por ter sustentado uma mentira por mais de dois meses - a de que não havia assinado o pré-contrato com o Palmeiras antes de prorrogar seu vínculo com o Flu.  O acerto havia vazado em agosto, mas a diretoria palmeirense, na época, também mentiu sobre o pré-contrato. A história veio à tona na quinta-feira, quando o diário Lance! publicou o documento e as mentiras ficaram insustentáveis. "Eu me arrependo de ter mentido. Quero ficar no Fluminense. Peço desculpas ao torcedor  e peço que continuem me apoiando", disse o jogador. O pedido de desculpas e a manifestação de que prefere o Fluminense não serão suficientes para livrar a pele de Thiago Neves. O meia corre o sério risco de ser punido pela Justiça Desportiva por ter assinado contrato com dois clubes diferentes (Palmeiras e Fluminense) enquanto, oficialmente, ainda pertencia a um terceiro (o Paraná). Juridicamente, o Palmeiras ainda pode tentar fazer valer o pré-contrato que tem com o jogador. Mas diante da vontade dele de ficar no Flu e, principalmente, "em nome do bom relacionamento entre as duas diretorias", o Verdão deve acabar cedendo. Vai exigir "apenas" a multa pelo não cumprimento do pré-contrato: R$ 2,4 milhões. "Eu e o Flu vamos dar um jeito de pagar a multa", disse Thiago Neves.  O jogador reconheceu também que recebeu R$ 400 mil adiantados do Palmeiras - comprou uma BMW branca com o dinheiro. O acerto ocorreu em 18 de agosto. O meia botou a culpa num de seus empresários, Luiz Alberto de Oliveira - que detém 32% de seus direitos econômicos e é brigado com o outro empresário, Leo Rabello, dono dos outros 68%. "Fui mal assessorado", disse Thiago Neves. "Só assinei porque disseram que o Fluminense não tinha interesse em mim." O meia entende que ficou num fogo cruzado entre os dois empresários. Oliveira é muito ligado ao Palmeiras - foi "parceiro" nas contratações de Gustavo e Pierre. Já o carioca Rabello tem trânsito livre no Fluminense.

Tudo o que sabemos sobre:
Thiago NevezPalmeirasFluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.