Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Neves erra pênalti, Cruzeiro perde para o CSA e deixa Mineirão sob protestos

Resultado mantém a equipe mineira entre os quatro últimos colocados do Campeonato Brasileiro faltando três rodadas

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2019 | 23h49

O inferno astral do Cruzeiro parece não ter fim. Com direito a pênalti perdido por Thiago Neves e confusão nas arquibancadas, o time mineiro perdeu o confronto direto com o CSA, por 1 a 0, no Mineirão, pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois times estão na parte inferior da tabela. No segundo tempo, o meia Thiago Neves chutou um pênalti para fora, o que poderia pelo menos ter evitado a derrota em casa. Os protestos se intensificaram.

O sexto jogo sem vitória manteve o Cruzeiro na zona de rebaixamento, em 17.º lugar, com 36 pontos, um a menos do que o Ceará. Já o CSA voltou a ganhar depois de cinco derrotas seguidas e vem logo atrás na classificação, na 18.ª posição, com 32 e ainda sonhando em escapar da Série B em 2020.

O Cruzeiro começou a partida em cima do CSA. Aos 11 minutos, Fred fez boa jogada na linha de fundo e, mesmo sem ângulo, arriscou chute rasteiro. A bola foi em cima de Jordi. Na sequência, Thiago Neves bateu fraco de fora da área e facilitou a vida do goleiro adversário. Aos 29, Fred ajeitou de cabeça e Pedro Rocha bateu de primeira. A bola desviou na zaga e saiu por cima do travessão. Na sequência, Jordi recebeu o cartão amarelo pela demora na reposição da bola.

A melhor oportunidade do jogo veio aos 36. Pedro Rocha tabelou com Fred e saiu na cara de Jordi. A bola passou raspando a trave. O pesadelo celeste aumentou aos 42 minutos. Rafinha cobrou escanteio e Ricardo Bueno cabeceou para grande defesa de Fábio. O rebote, porém, caiu nos pés do zagueiro Alan Costa, que só completou para as redes: 1 a 0 CSA. O nervosismo então bateu de vez nos jogadores cruzeirenses e também nos torcedores, que não economizaram nas vaias. O Mineirão ferveu. O time não acertava mais nada. Nos acréscimos, Ricardo Bueno arriscou de fora da área e mandou nas mãos de Fábio.

Na volta do intervalo, Abel Braga tirou Éderson e Fred para colocar Robinho e Joel, respectivamente. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Ezequiel desviou e Jordi espalmou para escanteio. O Cruzeiro abusava das bolas alçadas na área do CSA. Aos 11 minutos, Thiago Neves cobrou falta e o goleiro alagoano fez grande defesa, espalmando para escanteio. Cinco minutos depois, Pedro Rocha caiu dentro da área após dividida com Alan Costa. O árbitro mandou o lance seguir, mas voltou atrás depois de consultar o VAR. Pênalti.

Thiago Neves deslocou o goleiro, só que mandou a bola para fora, aumentando ainda mais o desespero cruzeirense. A partida ficou aberta. Aos 23, Robinho arriscou de fora da área e o goleiro espalmou. O camisa 10 sumiu depois de perder o pênalti e a cada toque na bola ele era vaiado pelos torcedores. Após cruzamento rasteiro, Sassá bateu de virada e Jordi fez outra boa defesa. Aos 31, Robinho cobrou falta, a bola desviou no meio do caminho e parou mais uma vez no camisa 1 alagoano.

BRIGA

O nervosismo tomou conta de todo Mineirão. Nas arquibancadas, torcedores entraram em conflito com policiais. A partida ficou paralisada por alguns minutos devido aos sinalizados acendidos. Apesar de ter a posse da bola, o Cruzeiro não conseguia passar pela marcação do CSA, que se defendia com quase todos os jogadores dentro da área. Aos 43, Egídio cruzou e Sassá cabeceou para defesa de Jordi.

Nos acréscimos, o time mineiro levantou pelo menos cinco bolas para a área do CSA, mas não conseguiu nada com isso. Os zagueiros alagoanos ganharam todos os lances. Os jogadores mineiros desceram para os vestiários debaixo de uma chuva de objetivos, que sobraram para os seguranças e policiais. O Cruzeiro volta a campo na próxima segunda-feira, contra o Vasco, às 20 horas, em São Januário, no Rio. No domingo, o CSA recebe o Bahia, às 18 horas, no Rei Pelé, em Maceió. Os jogos são válidos pela 36.ª rodada.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 1 CSA

CRUZEIRO - Fábio; Orejuela, Cacá, Léo e Egídio; Henrique, Éderson (Robinho), Ezequiel (Sassá), Thiago Neves e Pedro Rocha; Fred (Joel). Técnico: Abel Braga.

CSA - Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha (Jean Cléber); João Vítor, Nilton, Jonatan Gomez e Euller (Warley); Apodi (Bruno Alves) e Ricardo Bueno. Técnico: Argel Fucks.

GOL - Alan Costa, aos 42 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)

CARTÕES AMARELOS - João Vitor, Jonatan Gomez, Jordi e Euller (CSA)

RENDA E PÚBLICO  Não divulgados.

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.