Thiago Ribeiro culpa o azar por seca de gols no Cruzeiro

Thiago Ribeiro não marca um gol desde o início de março, na vitória do Cruzeiro sobre o Universitário Sucre, pela Copa Libertadores. De lá para cá, foram 17 partidas abrindo espaços, dando assistências, ajudando na marcação, mas sem balançar as redes uma única vez. Para o atacante, o período de seca é apenas culpa do azar e irá se encerrar o em breve.

AE, Agencia Estado

31 de julho de 2009 | 17h49

"Eu diria que esta faltando um pouco de sorte. Contra o Estudiantes, tive aquela bola na trave. Contra o Corinthians, a bola estava entrando e o Chicão salvou em cima da linha. Contra o Sport, o goleiro fez boas defesas e teve boa participação, evitando os gols da nossa equipe", explicou o atacante. "Mas todo mundo está ciente do que está sendo feito. Do mesmo jeito que a gente sabe que a bola não está entrando, daqui a pouco as coisas mudam".

Sobre o confronto contra o Grêmio, no domingo, o jogador espera que a equipe jogue com velocidade, conquiste a vitória e deixe a zona próxima do rebaixamento. "O jogo no Olímpico tem que ter atenção. Precisamos começar e terminar com os 11. Além de fazer o que a equipe sabe: tocar a bola e sair em velocidade nos contra-ataques. Uma vitória no Olímpico vai nos deixar em uma situação muito boa na tabela. Somar os três pontos em Porto Alegre vai fazer bastante diferença lá na frente", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.