Thiago Silva preferiu não bater pênalti na decisão contra o Chile

Traumatizado com erros cometidos no Paris Saint Germain, o capitão pediu ao técnico Luiz Felipe Scolari para ser o último da fila

Reuters

29 de junho de 2014 | 19h57

O zagueiro Thiago Silva, capitão da seleção brasileira, revelou que não estava confiante para cobrar pênalti na decisão com o Chile, vencida pelo Brasil por 3 a 2, neste sábado, no Mineirão. Traumatizado com erros cometidos pelo seu time, o Paris Saint Germain, o camisa 3 pediu ao técnico Luiz Felipe Scolari para ser o último da fila.

"Bater pênalti é uma grande responsabilidade em casa e pedi a Deus para não chegar a minha cobrança", disse ele. "Errei dois dos três últimos e o Felipão me perguntou: 'Você pode ser o sexto?' Eu disse que não. Pedi para ficar como último da lista atrás até do Julio Cesar. Não estava confiante", completou.

MOTIVADOR

Mesmo barrado por Felipão na partida de oitavas de final contra o Chile, o volante Paulinho foi considerado fundamental para a vitória do Brasil nos pênaltis, após o empate de 1 a 1.Coube ao volante, que perdeu a vaga de titular para Fernandinho, motivar e estimular os jogadores brasileiros antes das cobranças.

"Fiz o que achei que deveria. No banco ou no time faço parte de um grupo que quer vencer", disse o volante.

O capitão Thiago Silva disse que ficou arrepiado com o gesto de Paulinho. "O Paulinho era um cara que era titular e poderia estar desmotivado. Ele pediu a palavra, bateu no peito de cada um e disse que a família de todos estava aqui no Mineirão. Ele nos motivou ainda mais."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.