Arquivo/AE
Arquivo/AE

Thiago Silva promete que falta de jogos não atrapalhará

Zagueiro não tem condições legais para atuar pelo Milan, mesmo assim, acredita que está pronto para o jogo

AE, Agencia Estado

25 de março de 2009 | 16h06

Um dos candidatos para substituir Juan, que está contundido e nem foi convocado para defender a seleção brasileira, o zagueiro Thiago Silva admitiu nesta quarta-feira que está sem ritmo de jogo, já que não tem condições legais para defender o Milan, que o contratou junto ao Fluminense. Mesmo assim, ele prometeu que isso não irá atrapalhar, caso seja escalado por Dunga para enfrentar Equador e Peru, pelas Eliminatórias da Copa.

Veja também:

linkDunga acredita que Kaká estará em campo neste domingo 

linkDunga diz ter dúvidas para escalar seleção brasileira

linkPato diz que não tem pressa para ser titular na seleção 

linkTitular absoluto, Júlio César rejeita título de melhor

tabela Classificação

lista Calendário / Resultados

"Estou treinando até mais do que o normal por não estar jogando. O Milan está fazendo um trabalho legal comigo. O ritmo de jogo não está tão bom, mas estou muito à vontade para jogar pela seleção", afirmou Thiago Silva, que disputa uma vaga com Luisão e Miranda para jogar ao lado de Lúcio na defesa da seleção brasileira.

O jogador do Milan garantiu que o técnico Dunga ainda não revelou a escalação do Brasil para o jogo com o Equador. "Não tivemos conversa, nos próximos treinos ele deve definir. O mais importante é estar presente, particularmente para mim que não estou jogando", disse.

Em 2008, Thiago Silva foi vice-campeão da Copa Libertadores pelo Fluminense e a derrota por 4 a 2 para a LDU, em Quito, foi um dos fatores decisivos para o revés do time carioca. Para ele, a pressão da seleção equatoriana nos minutos iniciais será o maior perigo para o Brasil. "O que eu posso passar para eles é que a pressão é muito grande no inicio. Por isso, é importante um aquecimento muito bom para superar esse sufoco inicial", alertou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.