Thuram pede interrupção de jogos com manifestações racistas

Pedido do volante do Barcelona foi feito após a Comissão Européia afirmar que árbitro é 'a lei no campo'

EFE

13 de maio de 2008 | 16h48

O francês Liliam Thuram, zagueiro do Barcelona, pediu nesta terça-feira em Paris que os árbitros interrompam as partidas em que torcidas fizerem manifestações racistas. O pedido de Thuram foi feito após a Comissão Européia contra o Racismo e a Intolerância (ECRI, em inglês) declarar que o árbitro representa "a lei no campo" e deveria evitar as manifestações racistas. O zagueiro afirmou que na Espanha existe racismo, assim como na França e na Itália, países onde também jogou. "Infelizmente, na Espanha, como em outros países, ouvimos algumas coisas no estádio. Na última vez que jogamos em Madri, havia um torcedor fazendo barulho. Eu lhe mostrei a língua e ele se irritou", contou. Por outro lado, Thuram qualificou como "compreensível" a atitude do camaronês Samuel Eto'o, seu atual companheiro de equipe, quando ameaçou deixar o campo em La Romareda, na partida contra o Zaragoza pelo Campeonato Espanhol em 2006. Naquele jogo, parte do público imitava macacos quando Eto'o pegava na bola. "É preciso compreender até que ponto pode estar afetado para abandonar o campo", afirmou o francês, que não ainda não jogava pelo Barça na época do incidente. 

Tudo o que sabemos sobre:
racismoFC BarcelonaLiliam Thuram

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.