Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Tiago Volpi defende Diniz no São Paulo: 'Melhor treinador que tive'

Goleiro elogia trabalho do treinador, que está no comando da equipe desde o fim de setembro

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2019 | 17h16

Pressionado no São Paulo, o técnico Fernando Diniz teve o trabalho defendido pelo goleiro Tiago Volpi. Nesta quarta-feira, véspera da partida contra o Vasco, o jogador disse que Diniz é "o melhor treinador que teve na carreira".  Ele assumiu o comando da equipe no fim de setembro, após Cuca pedir demissão.

"Sou suspeito para falar do Diniz. Particularmente, é o melhor treinador que peguei na minha carreira até hoje. Por esse motivo, a gente fica chateado ao escutar certas coisas. A gente que está trabalhando todo dia com ele, que tem esse convívio diário, sabe que muitas coisas que estão sendo ditas sobre o trabalho dele não são verdade. É um cara competente, competitivo, que nos dá todas as ferramentas possíveis para chegar no jogo e ter o melhor desempenho", afirmou Volpi.

Diniz passou a ser questionado principalmente por causa do jejum de vitórias. Nas últimas quatro partidas, foram duas derrotas no Morumbi, para Fluminense e Athletico-PR, e empates fora de casa, com Santos e Ceará. Ao todo, o treinador soma 13 partidas no comando do São Paulo, com cinco vitórias, quatro empates e quatro derrotas (48,7% de aproveitamento).

"Nesses últimos quatro jogos, demos uma oscilada em questão de resultados, mas esperamos ganhar do Vasco e contemplar o Diniz também. É muito notório o grande treinador que ele é, não temos dúvida de que ele vai ser um cara vencedor e vamos fazer de tudo para que seja aqui no São Paulo", disse Volpi.

O São Paulo tem mais quatro jogos nesta temporada e luta para conseguir uma vaga já na fase de grupos da próxima Copa Libertadores da América. A equipe tricolor abre a 35ª rodada do Brasileirão em sexto lugar, com 54 pontos. Para Volpi, um dos líderes do elenco, os jogadores têm de evitar fazer contas.

"Depende só da gente, então não estamos fazendo conta. Sempre que você faz muitas coisas e pensa no amanhã, você acaba esquecendo de viver o hoje. Talvez tenha sido um dos principais problemas do nosso ano, ficar pensando nisso e naquilo e não pensar no agora", opinou o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.