Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Tiago Volpi espera que título do Paulistão seja decidido no tempo normal

Goleiro do São Paulo diz que time está preparado caso decisão vá para os pênaltis, mas que prefere decidir tudo em 90 minutos

Gonçalo Júnior, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2019 | 11h53

O goleiro Tiago Volpi espera que o título do Campeonato Paulista, domingo, entre Corinthians e São Paulo, na Arena Corinthians, seja definido no tempo normal. Após o empate por 0 a 0 no primeiro jogo, no Morumbi, uma nova igualdade (por qualquer placar) leva a decisão para os pênaltis. Quem vencer será campeão.

"A gente está preparado. Se acontecer empate nos 90 minutos, a gente está preparado para uma decisão de pênaltis. Isso vai ser trabalhado durante a semana, mas a gente espera que possa conseguir resolver o jogo no tempo normal", afirmou o goleiro em entrevista coletiva nesta quarta-feira no CT da Barra Funda.

Tiago Volpi se destacou no Campeonato Mexicano como um pegar de pênaltis. Em 2016, ele foi decisivo na semifinal e na final da Copa do México. Nos quatro anos de Querétaro foram 11 pênaltis defendidos. O goleiro foi decisivo na disputa por pênaltis contra o Palmeiras, na semifinal. Ele defendeu duas cobranças embora tenha desperdiçado seu próprio chute.

Neste domingo, ele acredita que o Corinthians não vá pressionar o tempo todo. "Geralmente o time, quando joga em casa, tem uma postura diferente, então a gente espera, talvez nos primeiros minutos, um Corinthians mais agressivo, mas também durante o jogo não mudando muito do que foi o jogo no Morumbi. Não acredito que vai ser toda essa pressão durante os 90 minutos", avaliou o goleiro, que não toma um gol há quatro jogos.

Com 28 anos, Tiago Volpi se destacou no Figueirense, onde jogou entre 2012 e 2014. Curiosamente, ele defendia o clube catarinense no jogo que marcou a inauguração oficial da Arena Corinthians, no Campeonato Brasileiro de 2014. Ele foi titular na surpreendente vitória sobre o time da casa. Na final do Paulistão, ele acredita que o São Paulo deverá ter postura ofensiva mesmo jogando em Itaquera.

"Fora de casa a gente sempre espera que o adversário agrida um pouco mais, mas a gente também não vai abrir mão do nosso estilo de jogo, que procura ser um estilo dinâmico, um estilo de bastante chegada, como a gente teve no Morumbi. Então, por mais que o Corinthians esteja jogando na sua casa, a gente não pode abdicar do nosso jogo ofensivo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.