Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Time da 4ª divisão acerta com Müller; Viola está na mira

Veterano com 49 anos de idade e três Copas do Mundo no currículo abandona a aposentadoria e se reapresenta após o carnaval

Estadão Conteúdo

10 de fevereiro de 2015 | 22h04

Com times semiprofissionais e jogadores pouco conhecidos, o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, que apesar do nome é a quarta divisão do Estado, está longe do glamour de seu "primo rico" Paulistão. Ainda assim, alguns clubes que disputam o certame apostam em velhos conhecidos da bola para alavancar a marca. São os casos do Fernandópolis, que anunciou o quase cinquentão Müller, e o Taboão da Serra, que negocia com Viola e Edílson Capetinha.

Atualmente com 49 anos, Müller foi anunciado pelo Fernandópolis, time da pequena cidade de mesmo nome de apenas 70 mil habitantes, no noroeste do Estado. Com três Copas do Mundo no currículo e passagens por São Paulo, Palmeiras e Santos, o veterano está parado há mais de uma década. Seu último clube foi o Ipatinga em 2004.

Após trabalhar como comentarista esportivo na TV Bandeirantes e no canal fechado SporTV, o jogador decidiu aceitar o desafio. "Já está tudo certo. Após o carnaval aguardamos o Müller para iniciar os treinos", assegurou o presidente do clube, Jerry Falcão.

O dirigente, contudo, promete não parar por aí. Cada clube da Segunda Divisão tem o direito de registrar três jogadores com idade acima dos 23 anos. Falcão já iniciou conversas com o lateral-direito, Maurinho, ex-Santos e Cruzeiro, que é natural de Fernandópolis. O atacante Alex Dias, ex-São Paulo e Vasco, também está na mira. Todos eles têm um fato em comum: já estão aposentados.

DUPLA POLÊMICA - Quem também deve apostar em veteranos para a disputa da competição é o Taboão da Serra, sediado na cidade de mesmo nome na Grande São Paulo. O presidente do clube, Anderson Nóbrega, também revelou conversas com empresários dos ex-atacantes Viola e Edílson Capetinha. "Quero completar o time com nomes de grande história no futebol. Por isso, iniciamos as tratativas com empresários", explicou.

Esta, aliás, não seria a primeira vez que Viola se aventura na divisão. Em 2013, o polêmico ex-atacante de Palmeiras, Corinthians, Santos e seleção brasileira atuou pelo Tanabi. O clube ficou conhecido nacionalmente, nos últimos anos, por apostar em medalhões.

Entre outros nomes já contratados pelo time, estão o folclórico Túlio Maravilha e o paraguaio Cabañas, que defendeu a seleção de seu país e foi baleado na cabeça em 2010. Fora de forma e sem a documentação necessária, ele nem usou a camisa do time. Desde então, tem apenas figurado em clubes menores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.