Reprodução
Reprodução

Time da Paraíba entra em campo com 8 jogadores no sub-20 por causa de surto de covid-19

Perilima pediu para que jogo da Copa do Brasil da categoria fosse cancelado, mas não conseguir aval da CBF por estar "em cima da hora"

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2021 | 10h50

Vítima de surto de covid-19 entre garotos do seu time sub-20, o Perilima, da Paraíba, se viu obrigado a entrar em campo para a Copa do Brasil da categoria com apenas oito jogadores. Perdeu para o Bahia por 4 a 1 e teve um jogador de linha improvisado no gol, uma vez que o seu goleiro também estava contaminado com a doença. O time paraibano até fez o primeiro gol, mas não teve fôlego para suportar a disputa com três atletas a menos e alguns improvisados. O jogo não chegou ao seu fim porque o Perilima ainda perdeu dois outros jogadores, machucados, de modo que o árbitro, por lei, se viu obrigado a encerrar o jogo. A história aconteceu em Campo Grande.

   

Após obter os exames para a covid-19, o clube teve a informação de que sete atletas estavam contaminados. Como manda o protocolo da CBF, eles precisariam ficar fora da partida e em isolamento de dez dias caso não mostrassem os sintomas da doença. O técnico Dinho, com febre, não esteve à beira do gramado também. Lyedson, um jogador do meio de campo, foi improvisado no gol por afinidade com a posição. Não havia nenhum jogador no banco. Kerven fez ainda dois gols contra, antes de sair machucado. O Bahia ficou com a vaga. O Perilima foi eliminado.

POR QUE TEVE O JOGO?

Pelas regras do futebol, independentemente da covid-19, uma partida só pode ser realizada se um dos times tem em campo sete jogador. Menos do que isso, o árbitro é obrigado a interromper o jogo. Foi exatamente o que aconteceu após as duas lesões que o time da Paraíba sofreu. Está no artigo 57 das regras esportivas. Acabando o jogo, o resultado é mantido. No caso do Perilima, estava 4 a 1. Se o jogo estive com saldo de gols inferior a três para a outra equipe, o regulmento manda estipular o placar em 3 a 0.

POR QUE O JOGO NÃO FOI ADIADO POR CAUSA DO SURTO DE COVID-19?

O presidente do Perilima, Jailton Oliveira, pediu para a CBF adiar a partida. Mas não teve a solicitação atendida. Ao GE da Paraíba, o dirigente disse que desde sexta-feira passada procurou a entidade para falar do surto da doença. "Mandei, na sexta-feira, um ofício (para a CBF) dizendo da situação que se encontra a cidade. Disseram (a CBF) que estava muito em cima da hora para cancelar a partida", disse Jailton.

PANDEMIA EM CAMPINA GRANDE

É a segunda cidade da Paraíba em número de contaminados. Nesta segunda-feira, o Estado chegou à 239 mil casos confirmados. Desde a pandemia, registou 4.992 mortes. O surto no Perilima também atingiu membros da comissão técnica.

REGRAS PARA TIMES COM CONVID-19

Jogadores contaminados podem atuar depois de dez dias de isolamento desde que não apresentem sintomas da doença. Todos os atletas infectados devem ser retirados de suas atividades e têm de cumprir quarentena. Apesar de jogadores contaminados, os jogos do seu time não serão cancelados. Para partidas profissinais, o protocolo da CBF determina que um time precisa ter 13 jogadores saudáveis para jogar. Os clubes podem inscriver até 50 jogadores nas competições. Esse número era de 40 antes da pandemia.

COMO ESTÁ O CAMPEONATO PARAIBANO

Ele foi cancelado. Deve começar somente em 31 de março. O torneio regional que deveria iniciar nesta quarta-feira, dia 17, foi postergado em função das partidas de competições nacionais, como Copa do Nordeste.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.