JF Diorio/ Estadão
JF Diorio/ Estadão

Time de Ronaldo na Espanha vai devolver dinheiro de ingressos para seus torcedores

Clube lamenta retorno sem público, mas entende que decisão é "essencial" à saúde 

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2020 | 10h20

O Valladolid, clube de Ronaldo Fenômeno, irá devolver aos seus torcedores uma parcela do dinheiro investido na compra de ingressos para as partidas remanescentes do Campeonato Espanhol. De acordo com o clube, caso o torneio nacional retorne, é provável que aconteça com portões fechados e, portanto, sem espectadores.

"O Real Valladolid confirmou, através do protocolo de retorno dos treinos e competições, que, na melhor das hipóteses, os campeonatos serão retomados com portões fechados. O clube não entende um futebol sem espectadores, mas, ao mesmo tempo, assume que é essencial garantir a segurança e a saúde de todos em momentos de emergência. Nesta situação, o Real Valladolid retornará aos seus sócios a parte proporcional das partidas do campeonato que, a partir do dia 28, poderão ser disputadas a portas fechadas no estádio José Zorrilla", anunciou a equipe, em comunicado oficial.

O reembolso poderá ser realizado de duas maneiras: como crédito para partidas da próxima temporada, o que daria direito ao torcedor de assistir 11 jogos do clube, em 2021, ou como devolução instantânea, ainda em 2020. Apesar das possibilidades, alguns sócios recusaram receber o montante de volta.

“O clube deseja agradecer aos muitos assinantes que expressaram sua disposição de desistir do reembolso como forma de auxílio à instituição, e confirmamos que esse direito poderá ser exercido", ressaltou.

Antes da suspensão do Campeonato Espanhol, em março, o Valladolid ocupava a 15ª colocação, com 29 pontos, e lutava para se afastar da zona de rebaixamento, encabeçada pelo Mallorca, com 25 pontos. Os jogadores voltaram às sessões de treinamento na última segunda-feira (04). 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolRonaldinhoValladolid

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.