Marco Bertorello/ AFP
Marco Bertorello/ AFP

Time misto da Juventus bate Napoli e complica rival no Italiano

Antes de jogo, torcedores lembram mortos no desastre de Heysel

Estadão Conteúdo

23 de maio de 2015 | 15h09

Mesmo com um time repleto de reservas, a já campeã Juventus mostrou que está mesmo um passo à frente de seus rivais na Itália e venceu neste sábado o Napoli, pela penúltima rodada do campeonato nacional. Para delírio de sua torcida em Turim, a equipe fez 3 a 1, com gols de Pereyra, Sturaro e Pepe. David López marcou o de honra dos visitantes.

O resultado levou a equipe de Turim a 86 pontos, disparando ainda mais na ponta, com o título já assegurado. Na última rodada, a Juventus duela com o Verona, domingo que vem, fora de casa. O Napoli, por sua vez, parou nos 63 pontos, em quarto, com poucas chances de vaga na Liga dos Campeões. Também no dia 31, duela com a Lazio em casa.

Em grande momento depois das conquistas do Italiano e da Copa da Itália, a Juventus entrou com um time misto neste sábado, já pensando na grande decisão da Liga dos Campeões, diante do Barcelona, dia 6 de junho em Berlim.

Mas isso não impediu que a equipe abrisse o placar logo aos 12 minutos, quando Coman ameaçou bater e deu assistência perfeita para Pereyra, que só teve o trabalho de deslocar o goleiro. Com tranquilidade, a Juventus segurou o ímpeto adversário e foi em vantagem ao vestiário.

Só que logo com três minutos do segundo tempo, o árbitro deu pênalti polêmico em toque de mão de Asamoah. Insigne bateu, Buffon espalmou, mas no rebote David López apareceu para marcar. A Juventus só voltou a ficar à frente aos 31, quando Sturaro fez um golaço. Ele recebeu na entrada da área, girou como quis para cima de dois marcadores e finalizou no ângulo.

Ainda havia tempo para mais um, e ele saiu nos acréscimos. Após um bate-boca dentro da área, Morata recebeu forte cabeçada de Britos. O árbitro viu e marcou o pênalti. Simone Pepe bateu com categoria e definiu o resultado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.