Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Time paraguaio promete atacar o Santos

O técnico Mário Jacquet, do Guaraní, do Paraguai, promete que vai colocar o seu time no ataque na partida desta quarta-feira na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores das América. O treinador - que, como jogador, atuou durante 10 anos na Espanha - admitiu que Diego, Robinho e Léo são os jogadores do Santos que mais preocupam, mas garante que eles não sofrerão marcação especial. "Nós não vamos fazer marcação especial. Há cinco anos, quando a Seleção ou algum time paraguaio enfrentava brasileiros ficava lá atrás se defendendo, enquanto os brasileiros ´bailavam´ e acabam ganhando o jogo. Agora, a história mudou. O meu time vai atacar o Santos." Jacquet não confirmou uma declaração que lhe foi atribuída pela imprensa paraguaia de que pretendia derrotar o Santos em cima da lentidão de seus zagueiros. "Não disse isso. São dois zagueiros grandalhões, que podem ser lentos na movimentação, mas são rápidos no raciocínio." Quando perguntaram a Jacquet se ele tinha conhecimento do último resultado do Santos no Campeonato Paulista, respondeu com ironia. "Ganhou de oito, mas não foi do São Paulo, Flamengo e nem do Palmeiras..." Depois de empatar por 0 a 0 com o Barcelona do Equador na estréia na Copa Libertadores da América, em Assunção, o Guarani entrou em crise e trocou de técnico. Na estréia de Jacquet, sábado passado, ganhou por 1 a 0 do Sol América, na casa do adversário. "A crise está superada e agora precisamos recuperar os dois pontos que perdemos na Libertadores. E é num jogo como esse de amanhã (18) que se consegue isso. Quando o Pré-Olímpico começou, só havia um campeão: o Brasil. No entanto, mesmo tempo Ronaldo e Roberto Carlos, vão ver a Olimpíada pela televisão", encerrou Jacquet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.