Times grandes em alerta nos campeonatos estaduais

Ser torcedor de um time considerado grande a cada nova temporada não é mais sinônimo de alegria e títulos nos campeonatos estaduais. Tudo bem que os torneios mal começaram em 2007 - são apenas três semanas de bola rolando - mas torcidas de Norte a Sul do País, de times das Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro já estão preocupadas com o que pode acontecer. Os torcedores que mais se questionam neste momento são os do Atlético Mineiro. Depois de um ano de recuperação com a conquista da Segunda Divisão do Nacional, a expectativa era de que a ascensão continuaria. A base do time foi mantida e alguns reforços chegaram, como Coelho, lateral-direito, ex-Corinthians. Em dois jogos no Campeonato Mineiro, duas derrotas e a penúltima posição na classificação. "O sinal amarelo já está ligado. Temos que mudar essa situação", diz o técnico Levir Culpi, repetindo um velho discurso no futebol. As derrotas que colocaram o time alvinegro nesta situação foram para o atual segundo colocado, o Villa Nova (3 a 2, em Belo Horizonte) e para o sexto colocado, o Tupi (2 a 0, em Juiz de Fora), com o time jogando mal e acumulando expulsões. Na Bahia, o inferno astral do time campeão brasileiro de 1988 continua. O Bahia, que no ano passado disputou a Série C e não conseguiu o acesso, está em quarto lugar na classificação, apenas um ponto atrás do líder, o Vitória da Conquista (que soma oito). Porém, no domingo, o Bahia empatou com o lanterna Ipitanga (1 a 1) e até o momento não conseguiu convencer sua torcida de que vai melhorar. Os protestos da torcida continuam, sendo que um movimento chamado Público Zero tenta fazer com que os torcedores não compareçam aos jogos. Ainda pela Região Nordeste, Náutico e Ceará também estão em situação complicada. O Náutico é apenas o quinto colocado no Pernambucano e perdeu o clássico deste Domingo contra o arqui-rival Santa Cruz por 2 a 0, enquanto que o Ceará foi derrotado pelo lanterna do Cearense, o Quixadá, pelos mesmos 2 a 0. Passando para a Região Sul, Coritiba e Atlético Paranaense também estão mal na classificação. O Coritiba empatou com o lanterna Nacional no domingo (2 a 2) e está em 12.º lugar. Já o Atlético, que está utilizando um time reserva, perdeu para o Cascavel (por 3 a 2) e é apenas o sétimo. Em Santa Catarina, a situação é complicada também para Avaí e Figueirense. Os dois, maiores vencedores do Estado, estão dividindo as duas últimas posições na classificação, com apenas três pontos em quatro jogos. Os dois times já tentam reforços com a esperança de melhorar. O que parece ser o caso mais crítico, na verdade, é o menos problemático. O Internacional, lanterna do Grupo A do Campeonato Gaúcho com apenas um ponto ganho, dificilmente conseguirá sua classificação na competição. Só que o time não parece estar nem aí com isso, pois tem disputado o Estadual com um time reserva. O problema é que, se o ritmo não mudar, os times precisarão até se preocupar em fugir do rebaixamento. Todos estão, numa paródia do técnico atleticano, com o sinal amarelo ligado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.