Times paulistas desconhecem adversários

Quatro times do interior paulista - Guarani, Portuguesa Santista, União Barbarense e Santo André - estréiam nesta quarta-feira na Copa do Brasil. Dos quarto, três estarão participando pela primeira vez da competição, mas ao contrário do que esperavam, nenhum deles irá enfrentar um clube de expressão nacional. Ao contrário. Técnicos e jogadores dos paulistas admitem que conhecem pouco dos adversários.O Guarani vai enfrentar o União Cacoalense, da cidade de Cacoal, em Rondônia. Para jogar contra o atual campeão Estadual, o time do técnico Joel Santana terá de fazer uma longa viagem. Vai enfrentar um vôo de Campinas até a capital, Porto Velho e, de lá, ainda terá pela frente 476 km de ônibus atéCacoal, localizada próxima à divisa com o Mato Grosso. Ao todo serão 15 horas de viagem. Assim como o Guarani, o União tem as cores verde e branco e foi fundado em 1º de janeiro de 1982. Bem distante de Cacoal vai estar o Santo André. Depois de perder para o Paulista por 2 a 0, pelo Campeonato Paulista, o Santo André vai até Ipameri, no interior de Goiás, onde vai enfrentar o Novo Horizonte, que apesar do nome, nada tem a ver com o Grêmio Novorizontino, vice-campeão paulista de 1990. O Novo Horizonte surpreendeu em 2003 ao conquistar o vice-campeonato goiano,perdendo apenas para o Goiás na disputa de pênaltis. Na edição deste ano, o time do técnico Marcius Fleury luta contra Anapolina e Jataiense por um lugar nas semifinais. O destaque é o atacante Emerson, que com oito gols, é o artilheiro do Campeonato Goiano.Ainda no Centro-Oeste do Brasil, o União Barbarense terá como adversário o Centro Esportivo Nova Esperança, mais conhecido como CENE. Assim como o Atlético Sorocaba, o CENE também é comandado pela seita do Reverendo Moon, que tirou o clube do amadorismo em 1999 para torná-lo campeão sul-matogrossensse em 2002 e vice em 2003. No comando da nova sensação do futebol no Estado, está o experiente técnico Válter Ferreira, ex-zagueiro do Noreste, que vem acumulando títulos estaduais no Mato Grosso,Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Em 2003, foi campeão Sul-Matogrossense dirigindo o modesto Chapadão. No ano anterior levou a Caldense ao inédito título.O único dos times do interior que irá para terreno relativamente conhecido é a Portuguesa Santista, que vai até a Grande Porto Alegre jogar contra o XV de Campo Bom. Em 2003, o XV gaúcho surpreendeu o Estado ao vencer o Juventude nas semifinais e chegar à decisão do Campeonato Gaúcho, perdendo na final para o Internacional. É um clube organizado. No elenco quinzista estãojogadores conhecidos, como o meia Dauri, com passagens por Juventude, Guarani, Criciúma e Botafogo, o goleiro Marcelo Moretto, revelado na Portuguesa e o lateral Borges Neto, ex-Juventude, Paulista de Jundiaí e que disputou o Campeonato Brasileiro de 2003 pelo Paysandu.Por jogarem fora de casa, os quatro clubes podem se classificar para a próxima fase sem precisar de jogo de volta caso vençam por dois ou mais gols de diferença. Se passarem, quem terá a missão mais difícil é a Portuguesa Santista, que vai enfrentar o Vasco da Gama. O Santo André pode pegar o Atlético-MG, o Guarani o América-MG e o União Barbarense o Santa Cruz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.