Times rejeitam jogadoras selecionadas

O Campeonato Paulista Feminino ainda nem começou e já criou polêmica. Clubes como Guarani, Matonense e Portuguesa não querem aproveitar em seus elencos as meninas pré-selecionadas pela organização da competição e muito menos comentar a decisão de deixá-las de fora. Das 1.520 inscritas, perto de 300 foram aprovadas e serão divididas entre os times.O problema é que a maioria dos clubes já têm seus elencos fechados e não estão aceitando novas inclusões. A alegação destes clubes é que já investem, tempo e dinheiro, em suas jogadoras e, de repente, não poderiam utilizá-las numa competição importante e oficial.A idéia inicial dos organizadores era abrir espaço para o surgimento de novas jogadoras, promovendo uma ampla renovação na categoria. Mas a resistência dos clubes ameaça o plano, tanto que a competição pode sofrer seu segundo adiamento. Em princípio, começaria dia 7 de outubro, mas já passou para dia 14.As jogadoras seriam qualificadas em nível A (ótima); B (boa) e C (regular). O Campeonato Paulista Feminino é uma promoção da Federação Paulista de Futebol e organizada pela Pelé Sports e Marketing. Dos 12 clubes convidados, estão os grandes de São Paulo - Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos - mais Portuguesa de Desportos, Juventus e Nacional, além de representantes do interior: Guarani, Ponte Preta, São Bento, Matonense e Taubaté.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.