Tinga diz ser imune a pressões

O delegado Ben-Hur Machiolle, de um distrito de Porto Alegre, é apaixonado por futebol. Amigo particular de Luiz Felipe Scolari, costuma fazer palestras aos jogadores. Uma vez, no Grêmio, reuniu os garotos do time juvenil e deu conselhos. Tinga era um dos juvenis. Ben-Hur disse que o primeiro dinheiro deles deveria ser empregado em bens para as suas casas, a família. Tinga ouviu o conselho, saiu da palestra e foi comprar uma televisão 14 polegadas com pagamento parcelado. Uns três dias depois, Tinga foi a Ben-Hur e disse que não tinha dinheiro para continuar pagando a televisão. O delegado quitou a fatura.Aquela televisão foi o primeiro bem da modesta casa, quase um barraco, em que Tinga vivia com a sua mãe e mais três irmãos na Vila da Restinga, um bairro miserável na periferia de Porto Alegre. Naquele tempo, Tinga ainda era Paulo César Fonseca do Nascimento. Passou a ser Tinga por ser da Restinga."Tenho orgulho desse apelido, que marca muito de onde eu vim", disse o jogador de 23 anos, um dos símbolos de Scolari na Seleção que enfrentará o Paraguai.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.