Gonzalo Fuentes / Reuters
Gonzalo Fuentes / Reuters

Tio de zagueiro acusado por Neymar de racismo revela que sua família foi ameaçada

'Agora ele tenta minimizar, mas o estrago está feito', disse Manuel Sobéron, em entrevista ao canal espanhol Cuatro

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2020 | 12h34

Manuel Sobéron, tio do zagueiro Álvaro González, acusado de racismo por Neymar, disse que sua família sofreu ameaças após toda a confusão entre os jogadores. Segundo o tio do defensor, o número do celular de González foi vazado nas redes sociais. Ele não descartou a possibilidade de acionar a Justiça contra o brasileiro.

“Agora Neymar tenta minimizar, mas o estrago está feito. É um pouco hipócrita”, disse, em entrevista ao canal espanhol Cuatro. "Ele o insultou constantemente durante o jogo. Disse que Álvaro ganhava quatro euros e ele 10 milhões de euros por ano”, acrescentou Sobéron. Para reforçar que seu sobrinho não é racista ele relembrou que "o melhor amigo de Álvaro no Espanyol era Caicedo, que é negro". Aliás, Soberón acredita o contrário: "Se vê desse ponto de vista, os racistas são eles”, disse.

Segundo Neymar, o zagueiro espanhol teria sido racista ao chamá-lo de "macaco". Ao término da primeira etapa, o atacante parisiense alertou o quarto árbitro sobre as injúrias, mas nada foi feito. Ambos voltaram a se estranhar no segundo tempo. O brasileiro foi expulso por ter agredido González com um tapa na cabeça. 

Agora, os jogadores aguardam uma decisão do comitê disciplinar da Liga de Futebol Profissional (LFP) da França. De acordo com a imprensa local, Neymar pode pegar até sete jogos de suspensão pela agressão. González, se acusado pelas injúrias raciais, pode pegar um gancho de dez partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.