'Tirar torcida visitante empobrece o jogo e não tem efeito nenhum'

Sociólogo e professor da Universidade Federal Fluminense-RJ fala sobre as torcidas no clássico

Rodrigo Monteiro, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2016 | 06h59

O clássico de torcida única significa o reconhecimento da polícia de que não é capaz de conter a violência e ao mesmo tempo tira uma das coisas mais bonitas do futebol, que é a disputa entre os torcedores com gozação, brincadeiras. Se isso vai fazer a violência diminuir? Tenho dúvidas. As confusões têm ocorrido longe dos estádios. 

Já está mais do que claro que a política de repressão não funcionou. É preciso repensar a política de esportes e lazer e a forma de lidar com as torcidas organizadas. Precisa-se de uma conscientização. Desde a década de 90 existe essa política de repressão e isso já ficou claro que não é a solução. Tirar torcida visitante do estádio empobrece o espetáculo e não tem efeito algum.

Falta também que atletas e clubes façam uma campanha para conscientizar os torcedores que querem aumentar sua masculinidade agredindo aos outros. Não podem agir como se eles não tivessem nada a ver com isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.