Pedro Martins/Mowa Press
Pedro Martins/Mowa Press

Tite afirma que gostaria de ver Brasil disputar Copa das Confederações

'Eu estaria trabalhando com a equipe há mais tempo. Isso é necessário', justifica

Robson Morelli, enviado especial Kazan, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2017 | 15h36

O técnico Tite está na Rússia para acompanhar a fase decisiva da Copa das Confederações, que envolve a semifinal desta quarta-feira (Portugal e Chile), de quinta-feira (Alemanha e México) e a final de domingo. Mas o desejo do treinador era, na verdade, que a seleção brasileira disputasse o torneio intercontinental.

Questionado pelo Estado sobre eventuais perdas da seleção brasileira por não participar do torneio, Tite foi claro. "Se tivéssemos a certeza da classificação (para a Copa), eu gostaria de estar (na Copa das Confederações). Se nós não estivéssemos classificados para a Copa, eu também gostaria de estar. Eu estaria trabalhando com a equipe há mais tempo. Isso é necessário. Técnico e equipe se moldando para conhecer as adversidades e tentar superá-las", afirmou o treinador na cidade de Kazan, antes da semifinal desta quarta-feira entre Portugal e Chile. 

A Copa das Confederações, como o próprio nome indica, reúne os campeões de cada continente. O representante sul-americano é o Chile, bicampeão da Copa América; Portugal venceu a Eurocopa. Tite reafirmou o desejo de estar no torneio mesmo com a necessidade de descanso para os jogadores que atuam na Europa e estão no início de período de férias. "Mesmo que eu tivesse de ter a decisão de não trazê-los em função disso (descanso), como aconteceu nos amistosos contra Austrália e Argentina, nós poderíamos oportunizar outros atletas de alto nível", completou o técnico da seleção. 

A passagem da comissão técnica pela Rússia também será decisiva para definir o local da concentração durante o Mundial. Sem revelar nomes, Tite disse que dois lugares atendem às necessidades. "Dois lugares atendem bem. Alguns aspectos são muito importantes, e isso eu posso dizer. Primeiro a melhor qualidade e privacidade para o trabalho desenvolvido. Essa é a essência. A partir daí pensamos nas acomodações, logística e outras coisas. Mas essa é a minha prioridade", disse o treinador. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.