Ettiene Laurent / EFE
Ettiene Laurent / EFE

Tite brinca sobre Allan em lista: 'O Sylvinho me pressionou para convocá-lo'

Técnico justifica volta de Paulinho pelo 'lastro' que volante tem com a seleção brasileira e garante que Fernandinho voltará no futuro

Estadão Conteúdo

26 Outubro 2018 | 13h14

O técnico Tite exibiu bom humor nesta sexta-feira ao comentar a convocação do volante Allan, do Napoli, para os amistosos que a seleção brasileira fará contra Uruguai e Camarões, respectivamente nos dias 16 e 20 de novembro, na Inglaterra. O treinador disse que foi "pressionado" pelo auxiliar Sylvinho, que convenceu o comandante a dar uma primeira chance ao jogador do time italiano após acompanhar de perto o futebol do atleta desde quando integrou a comissão técnica da Inter de Milão.

"Ele (Sylvinho) me pressionou para caramba. Deveria ter convocado antes", afirmou, sorrindo, o treinador, em entrevista coletiva na sede da CBF, no Rio, onde em seguida deixou o seu novo auxiliar fixo na seleção justificar a presença do atleta de 27 anos, ex-Vasco e Udinese, nesta lista de 23 nomes chamados para defender a equipe nacional.

"Faz sete anos que ele está na Europa. Começou na Udinese. No Napoli, jogava com (o técnico Maurício) Sarri no (esquema) 4-3-3. Sempre fez essa função. Não vai ver número de gols e passes avantajados, mas é dinâmico. Sabe fazer, executar funções no meio de campo. Começou esta temporada com (Carlo) Ancelloti no 4-4-2. Ainda assim, ele continua fazendo o segundo homem de meio. No formato de três no meio, continua sendo o segundo. Ele está aqui por méritos", disse Sylvinho.

Tite também comentou sobre a convocação de Allan e destacou que o jogador mereceu essa oportunidade em um momento no qual o principal foco de sua comissão técnica é a montagem da seleção que jogará a Copa América, no Brasil, no próximo ano.

"É oportunizar, mas montando uma estrutura básica para Copa América. Há atletas que seriam difícil ir à Copa América, ainda mais Copa do Mundo. Mas é fazer essa transição. No 4-3-3 ou no 4-4-2, o Allan alterna saída, como foi no jogo (do Napoli) contra o PSG (na última quarta-feira, pela Liga dos Campeões). Fez por merecer", enfatizou o treinador, para em seguida lembrar que anteriormente não teve como "assegurar a convocação" do volante Jorginho, ex-Napoli e hoje no Chelsea, e isso motivou o atleta a optar por defender a seleção italiana.

PAULINHO

Outra novidade da convocação da seleção nesta sexta-feira foi a volta de Paulinho, do Guangzhou Evergrande, da China, chamado para atuar pelo Brasil pela primeira vez após ter sido titular da equipe nacional na Copa do Mundo de 2018. E Tite defendeu o retorno do atleta e ao mesmo tempo avisou que Fernandinho, do Manchester City, vai voltar a ser chamado depois de ter ficado fora desta lista.

"O Paulo tem lastro muito grande com a seleção brasileira. Se reinventou mais agressivo. O Paulinho é mais rompedor. Não veio o Fernandinho, não que eu não quisesse. Ele vai retornar. São grandes virtudes morais e técnicas. Não sei para a Copa, mas pela qualidade técnica, pelo que vem jogando no City, pela qualidade moral. Não vai ser acidente de percurso que vai retirar", disse, se referindo ao jogo no qual o atleta fez um gol contra na derrota por 2 a 1 para a Bélgica, na Rússia, nas quartas de final do Mundial.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.