Tite chora e ainda sonha em ficar

Enquanto Tevez fazia a sua festa particular, as lágrimas de Tite demonstram que o treinador se sente cada vez mais longe do Parque São Jorge. Embora não queira, o caminho parece aberto a Vanderlei Luxemburgo. ?Fiz o que poderia pelo Corinthians. Trabalhei com um grupo de jogadores maravilhosos. Minha consciência está tranqüila. Eu me apeguei ao clube, gostaria de continuar. Não escondo isso de ninguém. Mas não depende de mim?, disse o treinador no domingo à noite, na festa de despedida do elenco em um restaurante de São Paulo. Os jogadores ficaram constrangidos com as várias vezes em que Tite chorou. A primeira foi ao final da partida contra o Figueirense. Depois ao dar entrevistas. E no restaurante, o técnico também estava emocionado. ?Eu sou assim mesmo. Não sou uma máquina. O futebol mexe demais com o emocional das pessoas. Comigo não é diferente. Não irei fingir uma frieza que não é minha. Quando me envolvo nas coisas é de coração, de corpo inteiro?, tentava justificar. Para ficar, o treinador mudou até as suas convicções de não conversar com a diretoria da MSI. Tite chegou a dizer que não ficaria nem na mesma sala com o iraniano Kia Joorabchian quando soube que ele havia convidado Luxemburgo para o seu cargo. Só que na semana passada, Tite voltou atrás. Fez questão de conversar com Kia sobre o futuro do Corinthians. Mas, negociante nato, o iraniano não quis confirmar para Tite que ele seria o treinador. Por um motivo muito simples: o convite a Luxemburgo está de pé. A MSI oferta US$ 1 milhão e mais salários de US$ 150 mil por um contrato de três anos para o treinador campeão brasileiro com o Santos. Os salários de Tite são de R$ 50 mil. O presidente Alberto Dualib tem certeza de que Luxemburgo acabará aceitando a proposta corintiana. O dirigente acredita que ficaria muito mal para o treinador ele aceitar logo depois que o Santos foi campeão no domingo. Dualib acredita que Luxemburgo pode demorar e só dar o ?sim? no início de janeiro. Este entrave atrapalha os planos de Kia. O iraniano pretendia fazer contratações e as dispensas seguindo orientação do novo treinador. Ele queria ter a certeza de que seria Luxemburgo. É bem possível que Kia acabe seguindo as indicações do próprio Tite. O treinador não escondia do gerente Paulo Angioni que o clube precisa de uma reformulação para poder brigar pela conquista da Copa do Brasil ? principal objetivo no primeiro semestre. Tite insistiu na contratação de jogadores experientes. Ele acredita que o Corinthians necessita de atletas vividos e talentosos. Mesmo com a chegada de Tevez, o fato de o argentino ter apenas 20 anos poderia atrapalhar no perfil da equipe. Por isso, a insistência em Roger. Mas, mesmo sem receber a notificação de dispensa, alguns jogadores já tratam de buscar outros clubes. É o caso de Zé Carlos. Ele só jogou no domingo porque Tite não tinha outros atletas para escalar. ?Eu sei que as minhas chances são pequenas de continuar. Eu quase não joguei no Brasileiro. Estou saindo de férias mas pensando na minha carreira. Quero ficar no Corinthians, mas tenho de estar preparado para uma dispensa.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.