Divulgação
Divulgação

Tite comanda nesta segunda o primeiro treino antes de pegar a Bolívia

Treinador precisa escolher o substituto de Paulinho para confronto

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

03 Outubro 2016 | 05h00

A preparação para o jogo com a Bolívia começa nesta segunda-feira, com treino às 18h na Arena das Dunas. A atividade será a única aberta à torcida. A principal expectativa é saber quem será o substituto do volante Paulinho, suspenso do jogo de quinta-feira por ter recebido o segundo cartão amarelo na última rodada das Eliminatórias, na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, em Manaus.

Paulinho, que voltou à seleção na primeira convocação de Tite no cargo, é jogador de confiança do treinador desde os tempos de Corinthians. Mesmo sem poder atuar contra a Bolívia, o volante do Guangzhou Evergrande foi chamado para que possa participar da rodada seguinte, contra a Venezuela, em Mérida. Excepcionalmente, a seleção tem 24 convocados. Para o segundo compromisso, um terá de ser cortado. Existe a possibilidade de Tite pedir para o escolhido permanecer no grupo, como forma de agradecer.

Além de Paulinho, outros dois que atuam no futebol chinês, o meia Renato Augusto e o zagueiro Gil, chegaram mais cedo ao Brasil para realizar preparação diferenciada. O trio começou a treinar com parte da comissão técnica da seleção na quarta-feira, no Palmeiras. A grande expectativa é pela chegada de Neymar a Natal.

O treino desta segunda terá a presença de 10 mil pessoas. As entradas já foram adquiridas. Os ingressos foram trocados por 1 kg de alimento. Para o jogo na quinta também não há mais bilhetes. A carga de cerca de 31 mil se esgotou em cerca de seis horas.

Dos oito dias de estadia em Natal, apenas na sexta-feira os jogadores terão folga. A equipe de Tite vai treinar todos os dias no fim de tarde na Arena das Dunas, exceto no domingo, quando tem atividade pela manhã para à tarde embarcar em voo fretado pela CBF para Mérida, onde na quinta enfrenta a seleção venezuelana pela 10ª rodada das Eliminatórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.