Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Tite começa a aprimorar parte tática da seleção brasileira para a Copa do Mundo

Com os 23 jogadores em Londres, treinador quer colocar em prática o esquema e a formação que considera ideais

Almir Leite, enviado especial a Londres, O Estado de S.Paulo

31 Maio 2018 | 07h00

Tite, enfim, pôde começar ontem a preparar a seleção brasileira para a Copa do Mundo da maneira que quer. O grupo de 23 jogadores ficou completo, com a chegada do lateral-esquerdo Marcelo e do volante Casemiro, que estavam com o Real Madrid vencendo a Liga dos Campeões no final de semana, e ele aproveitou para começar a colocar em prática esquema tático e formação que considera ideais. Taticamente, o treinador quer aprimorar os conceitos que implantou no time. Em relação à escalação, vai aproveitar os treinos antes do jogo de domingo com a Croácia para decidir se escala Thiago Silva ou Marquinhos na zaga.

+ Confira a página especial da Copa do Mundo da Rússia

+ Visitantes vencedores ajudam a elevar confiança da seleção antes da Copa

+ Danilo credita presença na Copa à troca do Real pelo City

Tite só não conseguiu dispor dos 23 convocados porque Douglas Costa ainda se recupera de uma lesão na coxa esquerda e está na fase da fisioterapia. Mesmo assim, já colocou em prática ontem ações de velocidade, marcação intensa desde a saída de bola adversária e trocas de posição no setor ofensivo.

A rotina da seleção nessa fase pré-Copa são os treinos fechados, praticamente secretos, longe da torcida e com restrições à imprensa, que só consegue presenciar o aquecimento dos jogadores. No entanto, não há muito a esconder. Tite vai se manter fiel ao esquema 4-1-4-1, com Casemiro à frente da zaga, Gabriel Jesus mais avançado, Willian e Coutinho pelos lados e Neymar com liberdade – esquema que pode variar para um 4-3-3 – e ter como opção um jogo mais prudente para encarar adversários mais fortes, em que Fernandinho entrará para ajudar Casemiro, mas sem perder a velocidade nas ações ofensivas, pela boa saída de bola e avanços do jogador do Manchester City.

+ Teste seus conhecimentos sobre a Copa do Mundo

+ Confira tabela da Copa do Mundo da Rússia

Domingo, a seleção brasileira enfrenta a Croácia, em amistoso em Liverpool, e Tite vai expor mais uma vez a seleção a um adversário que se defende com linha de cinco jogadores. Ele deverá manter a pegada de marcação forte na saída de bola adversária e pedirá especial cuidado com os contra-ataques.

O lateral-direito contra os croatas será Danilo. Ele encerrou em alta a temporada no Manchester City. Além disso, Fagner, que tem a confiança do treinador, está se recuperando de lesão na coxa. Já treina com os companheiros, mas ainda está longe da forma física ideal.

Danilo defendeu ontem os treinos fechados: “A gente tem mais tranquilidade para trabalhar, há coisas que a gente tenta fazer para surpreender o adversário, por isso é importante”. O lateral revelou que Tite tem conversado bastante com ele, para que, em campo, saiba exatamente o que é preciso fazer.

Filho de caminhoneiro, Danilo deu apoio ontem ao movimento, com base no que lhe disse José Luís, seu pai. “Ontem (terça) troquei mensagem com meu pai. Ele falou que a greve continua e que eles estão certos”, revelou.

NEYMAR

A comissão técnica da seleção, com Tite à frente, decide hoje quanto tempo o atacante jogará contra a Croácia. A tendência é que atue por 60 minutos. Danilo, que nos treinos marca o craque, diz que ele está cada vez melhor e que às vezes ele dá um pisão no pé do atacante na tentativa de pará-lo. “Ele é muito rápido. Estou tentando pisar de leve, com um carinho”, brincou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.