Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Tite comemora permanência de Jadson no Corinthians

Treinador alega que precisa 'de todos do plantel'. Meia é o principal responsável por armar as jogadas de ataque da equipe

O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2015 | 07h00

Tite comemorou bastante a decisão de Jadson de recusar a proposta do Jiangsu Sainty, da China, para continuar no Corinthians. O meia é hoje o principal responsável por armar as jogadas do time, além de bater praticamente todas as faltas e escanteios.

"Precisamos de todos no plantel. Que bom que o Jadson ficou. Ele conversou com a direção e uma série de pessoas. Disse para ele decidir o que fosse bom para ele”, afirmou Tite, após a vitória por 2 a 0 sobre o Linense, pelo Campeonato Paulista.


O Jiangsu Sainty havia comunicado ao Corinthians que pagaria 5 milhões de euros (R$ 16,2 milhões), valor referente à multa rescisória do jogador. O meia e seus empresários são donos de 70% dos direitos econômicos e ganhariam R$ 11,4 milhões na transação. O Corinthians, dono de 30%, ficaria com R$ 4,8 milhões.

Na segunda-feira, Jadson chegou a dizer ao presidente Roberto de Andrade que preferia se transferir para a China. Tite já dava a saída do meia como certa, e por isso nem o relacionou para a viagem a Lins. Na quarta-feira pela manhã, veio a reviravolta.

O treinador, no entanto, ainda não definiu se Jadson volta ao time no domingo, contra o Mogi Mirim, pelo Campeonato Paulista. “Vocês têm de ajudar a ideia de elenco, não usar isso de time principal, alternativo... Não sei. Até ontem eu não tinha titular do lado direito, agora voltou o Jadson... O campo mostra, o treinamento mostra. Dracena deveria ser titular por seu passado, mas o Felipe está bem. Quero ter critério”, disse Tite.

Jadson vai conceder nesta quinta-feira entrevista coletiva no CT do Parque Ecológico para explicar os motivos da sua desistência em ir para a China. O vínculo do meia com o Corinthians termina no dia 31 de dezembro. Em julho, ele pode assinar pré-contrato para deixar o clube de graça em janeiro de 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.