Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Tite completa nove meses de tranquilidade na seleção

Treinador reencontra o ambiente de Corinthians em início de jornada que marca os 200 dias de sua estreia

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

21 de março de 2017 | 07h00

O técnico Tite começou nesta segunda-feira com a seleção brasileira nova etapa de preparação para compromissos pelas Eliminatórias com efemérides significativas para a sua gestão. Completou 200 dias da estreia – vitória por 3 a 0 sobre o Equador – e nove meses de oficialização no cargo em um dia de trabalho marcado pelo ambiente tranquilo, conquistado pelos resultados obtidos desde sua chegada.

Os treinos para as partidas contra o Uruguai, em Montevidéu, na quinta-feira, e diante do Paraguai, na próxima terça, em São Paulo, começaram onde o treinador se sente mais à vontade. O CT do Corinthians foi o endereço escolhido para o primeiro dia. Tite trabalhou no local durante seis temporadas, fez sucesso, ganhou seis títulos e agora retorna pela primeira vez como técnico da seleção brasileira. 

Antes do início da atividade, ele cumprimentou funcionários do clube e atuais dirigentes, como Alessandro, de quem, inclusive, foi técnico no Alvinegro. O ambiente já conhecido se soma ao ótimo momento da seleção para dar a Tite uma tranquilidade rara nos últimos anos para quem comanda a seleção brasileira.

As seis vitórias consecutivas obtidas nas Eliminatórias e as convocações quase sem surpresas dão respaldo à esta segurança, um contraponto à pressão vivida pela seleção por jogar a Copa de 2014 em casa e, depois, pelos resultados ruins em jogos oficiais da 'era' Dunga.

"A seleção vem em um nível muito alto, está em um grande momento. Temos de aproveitar essa confiança. Não é todo instante que a gente tem. Temos feito grandes jogos e conquistado grandes resultados", afirmou o volante Paulinho em entrevista coletiva.

Até agora Tite fez quatro convocações para as Eliminatórias, com 36 jogadores chamados. O número é baixo, afinal como cada lista contém 23 nomes, a seleção poderia ter explorado nesse último período uma quantidade bem maior de opções – 96. 

Isso mostra o quanto a equipe inicia o ano que antecede à Copa da Rússia com uma base definida e poucas surpresas nas convocações. Nesta última, por exemplo, as novidades foram apenas Diego, Diego Souza, Dudu e Ederson.

A equipe titular para as duas próximas partidas guarda apenas uma dúvida. Gabriel Jesus, machucado, deve ser substituído por Firmino, enquanto as dez outras posições já parecem definidas e livres de questionamentos. "Hoje, o que mais preocupa a seleção brasileira é se ela vai estar no seu nível. Esse é nosso trabalho, fazer com que cada jogador esteja no seu melhor", afirmou o zagueiro Miranda.

Se a seleção parece tão perto da Copa, Tite tem pelo menos mais um motivo para mobilizar o elenco. Caso ganhe do Uruguai, a equipe chegará à sétima vitória consecutiva e baterá o próprio recorde em Eliminatórias. A marca atual é dividida entre o elenco de Tite e os comandados por João Saldanha na busca por vaga na Copa de 1970.

SUSPENSÕES

A equipe vai encarar o compromisso em Montevidéu preocupada em perder jogadores suspensos. Dos 23 convocados, sete estão com um cartão amarelo e ficarão fora da partida seguinte caso sejam advertidos novamente. Dessa lista, quatro são titulares: o lateral-direito Daniel Alves, o zagueiro Miranda, o volante Paulinho e o meia Renato Augusto.

Dos reservas, também estão ameaçados de virar desfalques o lateral Filipe Luís, o volante Fernandinho e o meia Giuliano. Caso perca algum desses jogadores ao fim da partida no Uruguai, Tite pode chamar um substituto para completar a lista de convocados à disposição para enfrentar o Paraguai, na Arena Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.