Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Tite confia em evolução técnica de Neymar, mas pede tempo após lesão no tornozelo

'Ele ficou aproximadamente 78 dias sem jogo', comentou o preparador físico da seleção, Fábio Mahseredjian

Marcio Dolzan/RIO, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2022 | 13h31

O técnico Tite deu voto de confiança ao atacante Neymar nesta sexta-feira ao comentar sobre a fase do jogador da seleção brasileira após uma longa recuperação de uma lesão no tornozelo. O camisa 10 do Paris Saint-Germain foi convocado para as duas últimas partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, neste ano, após ter ficado fora da última lista justamente por estar contundido. As atuações irregulares pela equipe francesa desde que voltou a campo não são motivo de preocupação para a seleção.

"Ele fez um jogo bom no primeiro tempo (contra o Real Madrid), e como toda a equipe, caiu na sequência", avaliou Tite. "Tem uma margem de crescimento porque ele tem uma qualidade extraordinária. É um processo de retomada normal de quem vem de lesão."

Neymar lesionou o tornozelo direito em novembro atuando pelo PSG e só voltou a campo em fevereiro. "Ele ficou aproximadamente 78 dias sem jogo. E treinamento esportivo não é pílula, não é anti-inflamatório que você dá e a dor passa", analisou o preparador físico da seleção, Fábio Mahseredjian.

"Você demora a adquirir novamente os efeitos fisiológicos do treinamento. Ele (Neymar) fez cinco partidas até agora, sendo só duas completas. Ele vai evoluir, como o Tite diz, e a cada jogo vocês vão perceber uma evolução cada vez maior. Temos que dar tempo ao tempo."

Tite concordou que uma sequência de treinos e jogos, respeitando o tempo de readaptação, vai ser o melhor remédio para Neymar voltar à melhor fase técnica e física. "Ele tem todo um processo de busca dessa melhor performance, e que o tempo vai dar, os treinamentos vão dar, os próprios treinamentos e essa sequência curta de jogos do PSG vão dar, a sequência com a seleção vai dar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.