Yuri Kochetkov/EFE
Yuri Kochetkov/EFE

Tite destaca produção ofensiva da seleção: 'Saio feliz com o desempenho'

"O resultado foi condizente com o desempenho apresentado", disse o técnico da seleção brasileira, após os 3 a 0

Estadão Conteúdo

23 de março de 2018 | 16h50

"O resultado foi condizente com o desempenho apresentado". Foi com essa frase que o técnico Tite resumiu a sua avaliação da atuação da seleção brasileira nesta sexta-feira, quando a equipe superou a Rússia por 3 a 0, em Moscou, no Estádio Luzhniki, naquele que será o palco da decisão da Copa do Mundo.

+ Brasil deslancha na etapa final, marca 3 e vence Rússia com facilidade em Moscou

Apesar dos elogios, a vitória do Brasil não foi fácil de ser conquistada, tanto que o primeiro tempo terminou empatado em 0 a 0. Mas a equipe deslanchou na etapa final, com três gols entre os sete e os 20 minutos, marcados por Miranda, Philippe Coutinho e Paulinho.

Para referendar a sua avaliação, Tite citou o grande número de finalizações da seleção - 24 - no duelo com a Rússia, que atuou bastante fechada, com uma linha defensiva formada por cinco jogadores. E essa alta produção ofensiva arrancou elogios do treinador da seleção.

"Saio feliz pelo desempenho, por enfrentar uma Rússia que veio para o embate, não só marcou, mas também agrediu na marcação, gerando dificuldades. E a equipe conseguiu manter concentração alta e construiu o jogo a partir do nosso modelo. Foram 24 finalizações, sendo 13 precisas, é um ótimo número e quer dizer que a equipe clareou, teve criação e finalização", disse Tite, satisfeito que a seleção tenha adotado o estilo de jogo que ele implementou na equipe.

Tite reconheceu que o Brasil não teve um bom início no duelo com a Rússia, mas avaliou a situação como natural, assim como o crescimento do Brasil na etapa final, destacando que os compromissos anteriores da equipe haviam sido em novembro de 2017, nos amistosos contra o Japão e a Inglaterra.

"Os jogos são desafiadores para manter o padrão de atuação depois de quatro meses fora. Alguns jogadores que não executam a mesma função precisam de 15, 20, 30 minutos. O Coutinho por dentro, até encontrar o melhor espaço, deslanchou no segundo tempo, a mesma coisa com o Douglas Costa. Sabemos da retomada do Gabriel Jesus ao seu melhor ritmo", afirmou.

Após o amistoso com a Rússia em Moscou, a seleção brasileira voltará a jogar na próxima terça-feira, quando fará amistoso com a Alemanha, em Berlim. Será o último compromisso da equipe antes da convocação para a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.