Tite e sua última chance de ficar

Tite espera ter neste domingo, às 16 horas, no Pacaembu, com os reservas do Corinthians diante do Figueirense, a sua última chance de provar que os executivos da MSI e o presidente Alberto Dualib estão errados em querer trocá-lo por Vanderlei Luxemburgo em 2005. A sua tese silenciosa é que, se com o arremedo de elenco que teve nas mãos, conseguiu não só salvar o Corinthians do rebaixamento como classificá-lo à Copa Sul-Americana, o que não faria com um milionário time formado por dinheiro russo?"Se vencermos o Figueirense, ficaremos em quinto lugar no Campeonato Brasileiro. Não é o que eu gostaria, mas é uma colocação digna. E depois daí esperar pela avaliação da diretoria se quer manter o meu trabalho ou não", admite, realista, Tite.Nos bastidores do Parque São Jorge se comenta que Dualib já tomou a decisão de trabalhar pela terceira vez com Luxemburgo. O presidente está sofrendo a pressão de conselheiros próximos a ele que odeiam Luxemburgo. E o treinador santista também tem um apelo da diretoria e jogadores para que continue trabalhando no time do Litoral, principalmente se for campeão brasileiro neste domingo.Enquanto Tite trabalha por ele, os reservas que só vão jogar porque os titulares tiveram suas férias antecipadas, também pensam em garantir um lugarzinho no Parque São Jorge na próxima temporada. Não adianta esconder que o clima poderia ser definido como cada um por si."Eu joguei muito pouco. Sei que tenho potencial para continuar no Corinthians mesmo se a diretoria contratar um bocado de estrelas. Eu sei do meu potencial e será isso que irei mostrar contra o Figueirense", afirma Alessandro, que será a estrela do desfigurado Corinthians."Vou jogar improvisado como atacante. Mas qualquer posição serviria neste último jogo do Brasileiro. Vou encarar como uma decisão.Tenho plena noção que estarei jogando o meu futuro. Quero ficar no Corinthians. Eu mereço", resume Zé Carlos tentando convencer os jornalistas."Sei que depois dessa partida vou passando as férias inteiras olhando para o telefone esperando por uma chamada de um clube interessado. Tomara que seja o Corinthians a me procurar de novo", assume Rubinho sua preferência.Com jogadores que não se conheciam nem para chamar pelo nome, Tite teve de fazer treinamentos durante toda a semana em conjunto. "Eu tentei dar pelo menos um mínimo de entrosamento a todos.Sei que vontade não vai faltar, mas conjunto no futebol é importantíssimo. O Corinthians vai apelar para o coração e raça para ganhar esse jogo." O treinador não quer implorar publicamente para continuar no Corinthians. E já adiantou que não irá ao banquete de aniversário do clube marcado para segunda-feira no Parque São Jorge. Fiquei sete meses longe da minha família. Vou para o Sul logo após o jogo." Ele será mais um a ficar esperando o telefone tocar. Se a chamada não vier do Parque São Jorge, poderá vir da Toca da Raposa, da Gávea ou até da própria Vila Belmiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.