Tite esquece seleção e diz que foco está no Mundial

O técnico Tite procurou minimizar a presença do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marin, no Japão, como chefe da delegação do Corinthians no Mundial de Clubes da Fifa. Ele é um dos cotados para assumir o comando da seleção brasileira e dirigentes do time alvinegro temem que a possibilidade de substituir Mano Menezes desconcentre o treinador.

RAPHAEL RAMOS, Agência Estado

27 de novembro de 2012 | 13h09

"Até pela experiência do presidente (Marin), ele sabe que para a CBF um título mundial do Corinthians seria extraordinário", desconversou Tite. O treinador, inclusive, acredita que não terá muito tempo de convívio com o mandatário. "Ele vai ficar a maior parte do tempo com o Mario Gobbi (presidente do Corinthians). Eu tenho de cuidar do time", justificou.

O comandante voltou a destacar que seu foco está apenas no Mundial neste momento. "Temos pelo menos dez nomes de treinadores em condições de assumir a seleção, mas a minha diferença é que estou diante da possibilidade de conquistar o maior título que um treinador pode conquistar", enfatizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.