Nilton Fukuda/ Estadão
Nilton Fukuda/ Estadão

Tite evita fazer contas para título e diz que pensará jogo a jogo

Técnico esquece projeção por índice de aproveitamento

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2015 | 07h00

Restando oito rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro e com o Corinthians cinco pontos à frente do Atlético-MG, segundo colocado, Tite evita fazer contas para o título. O treinador diz que daqui pra frente os seus cálculos são jogo a jogo.

"No começo do campeonato eu fazia projeções em cima de índice de aproveitamento. Agora não dá mais para fazer isso. Temos de pensar a cada rodada", justificou o treinador após a vitória por 3 a 0 sobre Goiás, no Itaquerão.

Pelas contas que Tite fazia até o início do returno, 75 pontos seriam suficientes para o time ser campeão. Com o triunfo, a equipe sobre o Goiás o time chegou aos 64.

"Entramos com a pressão do resultado (o Atlético-MG na quarta-feira derrotou o Internacional). A expectativa é muito grande. É diferente jogar sabendo do resultado, principalmente quando o resultado é a favor do adversário ", disse o treinador.

Apesar da boa vantagem da equipe na ponta da tabela, Tite garante que não ficará frustrado se o Corinthians não for campeão. "Se o Atlético-MG for melhor, vamos dizer 'Atlético, vocês mereceram'. Um só vai bater campeão", disse.

Para Tite, o diferencial do Corinthians está na força do elenco e nesta reta final de campeonato os jogadores que costumam ficar no banco podem ser decisivos. "O Corinthians não depende de um jogador e nem um número 9 tem de fazer todos os gols. Não consigo enxergar o futebol assim."

O Corinthians volta a campo no domingo, quando enfrenta o Atlético-PR, na Arena da Baixada, em Curitiba. O zagueiro Felipe, que cumpriu suspensão diante do Goiás, volta no lugar de Edu Dracena. O volante Elias, poupado, recupera a sua vaga na equipe que foi ocupada por Rodriguinho na quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolcorinthiansbrasileirao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.