Keiny Andrade/Estadão
Keiny Andrade/Estadão

Tite já não consegue mais esconder a ansiedade com o Mundial de Clubes

Técnico do Corinthians queria que a viagem para o Japão fosse já nesta quarta-feira

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2012 | 20h14

SÃO PAULO - Debaixo de forte chuva, Tite comandou por quase duas horas na manhã desta terça-feira um dos últimos treinos do Corinthians antes da viagem para o Japão, onde o time disputará o Mundial de Clubes. Molhado, sem trocar o agasalho de trabalho, ele ainda encarou os jornalistas por mais 40 minutos na sala de imprensa do CT do Parque Ecológico. E não conseguiu esconder a ansiedade.

Perguntado pela reportagem do Estado como fazia para controlar os nervos durante essa reta final de preparação para os dois jogos mais importantes da sua carreira, ele foi simples e direito: "Queria que a viagem fosse amanhã já!"

A sua tática para "driblar" a ansiedade é tentar trabalhar com a maior intensidade possível, como foi na manhã desta terça-feira. "Não vamos fazer menos do que o necessário para ser campeão", avisa.

O treinador, sempre comedido, chegou ao ponto de desafiar o técnico do Chelsea, Rafa Benítez. "Nada é maior do que o meu tesão em ser campeão mundial. Ele já ganhou, eu não", disse. Tite já avisou também que nem mesmo o fato de o seu nome estar na lista de cotados para substituir Mano Menezes na seleção brasileira vai tirar o seu foco.

O jogo de domingo contra o São Paulo, no Pacaembu, pela 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, servirá apenas para a equipe cumprir tabela. A cabeça de todos, inclusive de Tite, está no Mundial.

A previsão inicial de Tite era usar força máxima no clássico e que os últimos ajustes na equipe fossem feitos diante do Tricolor. Uma espécie de treino de luxo. Assim, o time que jogaria domingo seria o time da estreia no Mundial.

Os imprevistos, no entanto, começaram a surgir. O lateral-esquerdo Fábio Santos, por exemplo, reclama de dores musculares (fruto de sua participação no Superclássico das Américas da última quarta-feira) e pode ser poupado para evitar que o problema se agrave.

Outros jogadores que, por ventura, sentirem algum desconforto até domingo também ganharão descanso. Restando duas semanas para o time fazer o seu primeiro jogo no Japão, Tite não quer correr riscos. "Estamos diante da oportunidade de conquistar o título mais desejado por todo profissional que trabalha com futebol", justiça o ansioso Tite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.