Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Tite minimiza polêmica de jogo suspenso e descarta clima hostil para seleção na Argentina

Treinador lamenta partida interrompida entre as equipes em setembro, na Neo Química Arena, mas acredita que clássico desta terça-feira será resolvido 'dentro de campo'

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2021 | 11h00

O técnico Tite descarta qualquer clima hostil para a seleção brasileira na Argentina, nesta terça-feira, em jogo das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022, apesar da polêmica sobre a partida interrompida logo aos cinco minutos, na Neo Química Arena, em setembro.

Na ocasião, o jogo foi paralisado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por conta de irregularidades na entrada de jogadores argentinos no Brasil em meio às restrições causadas pela pandemia de covid-19. A interrupção causou atritos e insatisfação por parte dos argentinos.

Nada disso entrará em campo nesta terça, na avaliação do treinador brasileiro. "É difícil dimensionar isso tudo, não sei a ótica que a Argentina encarou esses fatos todos", declarou. "Que nós façamos um grande jogo, que seja um grande espetáculo e que tenha um cunho de dentro do campo."

"A minha ótica é de lamentação pelo jogo não ter acontecido. Agora devido à compreensão dos fatos, o porquê de não haver... Tenho claro que, antes do futebol, existe saúde, existem leis e correção dos fatos. Isso tudo aconteceu. Agora como se encara essas situações é bastante particular, próprio e pessoal."

Dois meses após aquela partida não finalizada, o clássico será disputado na cidade de San Juan num estádio com capacidade para apenas 25 mil torcedores. Também presente na coletiva de Tite, o auxiliar César Sampaio lamentou a escolha dos rivais sul-americanos.

"Entendemos que Brasil x Argentina merecia uma infraestrutura melhor. Tem dois expoentes sul-americanos em campo, o Messi e o Neymar. E toda uma atmosfera por causa deste jogo que não existiu por variáveis que não controlamos. Esperávamos, sim, um local mais apropriado. Agora temos que nos preparar para esta atmosfera e ambiente", disse Sampaio.

Tite pediu rápida adaptação ao elenco brasileiro para o jogo no acanhado estádio. "Sobre local, logística, para mim é secundário pela grandeza do jogo. Temos que nos adaptar, porque futebol é lá dentro. A exigência é fazer um grande jogo, independentemente do local. O gramado estando bom é o que buscamos."

Para o treinador, a qualidade técnica e também mental serão decisivos no clássico. "Lembrei do Parreira (técnico da seleção na conquista da Copa de 1994), quando ele fala que um jogo de futebol é fundamentalmente a qualidade técnica de seus atletas. Eu acrescento: é a qualidade técnica dos atletas e é também mental, porque nosso corpo responde à nossa cabeça. Essa sintonia entre qualificação técnica, capacidade mental e coragem nos enfrentamentos se equilibram naquilo que pode decidir um jogo."

Tite classificou o confronto desta terça como jogo de Copa do Mundo. Já classificado, o Brasil vai enfrentar o rival que mais deu trabalho ao time sob o comando do treinador. Das cinco derrotas sofridas pelo técnico desde que assumiu esta função, três foram causadas pela Argentina.

"As estatísticas são de três derrotas e três vitórias também. Ela tem uma dimensão de quanto é grande Brasil x Argentina", comentou. "Quando a gente fala de adversários como a Colômbia (e Argentina), são jogos de Copa do Mundo, e vai ser agora também pelo nível e qualidade dos adversários, da qualidade técnica individual, da rivalidade histórica."

Sobre a escalação, o treinador fez mistério. Ele disse que vai definir o time no treino desta segunda-feira, antes da viagem para a cidade argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.