Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Tite mira Libertadores, mas indica titulares no Morumbi

'Sequência de jogos é importante', salientou o técnico, que escalou reservas contra o Mirassol na última quarta

RAPHAEL RAMOS, Agência Estado

29 de março de 2013 | 12h37

O técnico Tite evitou confirmar, nesta sexta-feira, o time titular que enfrentará o São Paulo no clássico deste domingo, às 16 horas, no Morumbi, pela 16.ª rodada do Campeonato Paulista. Porém, deu sinais de que deverá escalar a força máxima à disposição, embora o time tenha pela frente na quarta-feira um duelo decisivo com o Millonarios, na Colômbia, pela Copa Libertadores.

O treinador destacou que o duelo diante dos são-paulinos pode servir para o time ganhar embalo para a partida em solo colombiano, embora exista o risco de perder jogadores por lesões, assim como há a preocupação com a desgastante viagem que os atletas farão após o clássico.

"Minha intenção é colocar todos os atletas porque a sequência de jogos é muito importante. Esses dois jogos estão ligados. Minha ideia é botar todo mundo para jogar porque jogo é a melhor preparação, desde que tenha tempo para se recuperar fisicamente", afirmou Tite, que na última quarta-feira já poupou titulares do confronto diante do Penapolense, no Pacaembu. "A tendência é usar os jogadores que não atuaram contra o Penapolense e mais alguns que sejam necessários", avisou.

Tite também enfatizou que não pode deixar um duelo contra o São Paulo em segundo plano, embora o foco principal esteja hoje na competição continental. "Penso como o torcedor, clássico é um campeonato à parte, mas que agora está num momento inoportuno devido aos jogos de Libertadores que as duas equipes vão fazer no meio da semana", disse.

Ao mesmo tempo, entretanto, Tite deixa nas entrelinhas a impressão de que poderá poupar um ou outro jogador mais ameaçado pela sequência de partidas. Ele ainda aguardará um parecer dos médicos do clube, que definirão se o comandante poderá, de fato, usar força máxima sem grande risco de provocar lesões. "Não posso e não vou fazer o que quero. A prioridade é a Libertadores. É preciso levar em consideração o que pode dar ritmo para o jogo de quarta-feira", disse.

Mas, independentemente do time que colocar em campo no domingo, o treinador afirmou ter uma certeza: "O São Paulo tem um baita time, nós temos um baita time. Vai ser um grande jogo. A expectativa de todos é por um grande jogo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.