Tite muda esquema no Corinthians

Enquanto o ?meia essencial? que o técnico Tite tanto quer no time não chega, o Corinthians vai se virando com o que tem de melhor no momento. E este melhor hoje é Dinélson. O jogador, recentemente campeão da Copa São Paulo de Juniores, foi confirmado na equipe que enfrentará o Rio Branco, quinta-feira, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista. O atleta já merecia sua oportunidade, sobretudo pelo que vinha mostrando nos minutos que jogava no segundo tempo.Outra novidade no Corinthians será sua formação tática. Tite abriu mão do esquema com três zagueiros e passou a adotar, já no coletivo desta terça-feira no Parque, o 4-4-2, com Marinho e Betão na defesa. Com isso, ele ganhou mais uma vaga na armação, dada a Dinélson.?O torcedor deve entender que a equipe respondeu melhor em campo quando começou a atuar no esquema com dois zagueiros e um homem a mais no meio-de-campo. Fizemos isso no segundo tempo contra o Mogi Mirim, apesar da derrota, diante do Sampaio Corrêa e agora, na última partida, contra a Inter de Limeira?, explicou o treinador. Dessa forma, Tite faz o óbvio com seus laterais. Pede para que eles apóiem em ocasiões alternadas, quando um vai o outro fica, e ainda os lembra da nova condição de marcação. Quer atenção. Na lateral-direita, uma mudança de ordem técnica. Ele saca Coelho, que vinha salvando o time nas cobranças de falta, e dá sua camisa para Edson, que estava atuando no meio, como primeiro volante. Coincidentemente, Coelho não engoliu sua saída de campo ainda no primeiro tempo do jogo em Limeira, em que deixou o gramado irritado. ?O Coelho é um bom menino, mas precisa ser educado. Minha mudança, no entanto, nada tem a ver com aquele episódio. Ele saiu por questão técnica. Edson está melhor?, disse Tite, quase ao lado do lateral.Antes do coletivo desta terça, o técnico corintiano chamou Dinélson e Carlos Alberto, seus dois homens de armação, e passou a ficha do que ele espera dos dois no Pacaembu. Ao novo titular, Tite pediu movimentação e aproximação dos atacantes Tevez e Jô. A nova chance deixou o garoto rindo à toa.?Não posso decepcionar. Tenho de ir bem e fazer o que sei. Estou, na verdade, colhendo os frutos da árvore que plantei?, disse o meia, que esteve bem perto de deixar o Parque na temporada passada. ?Como não estava sendo usado, pedi para a diretoria tentar me colocar em algum outro clube. Mas eles preferiram me dar mais tempo. Pediram mais paciência?, comentou.Do passado, Dinélson guarda mágoa do técnico Oswaldo de Oliveira, como ele mesmo admite. Foi Oswaldo quem o rebaixou para as categorias de base e o deixou de escanteio no começo de 2004. ?Ele simplesmente disse que não me conhecia direito, mas eu já tinha feito boas apresentações no Guarani.?Agora o meia vive outra fase. E Tite teve o cuidado de não pôr em suas costas responsabilidades que ele não consegue assumir. ?O Dinélson não é solução de nada. Está num momento bom e tem mostrado isso nos jogos do Paulistão.?A possibilidade ventilada ontem de usar um time ideal vai caindo por terra, pois o treinador quer dar mais tempo a Gil e Marcelo Mattos, sobretudo em coletivos. Ele teme forçar a barra agora e perdê-los depois por prazo maior. SEBÁ - O zagueiro Sebá terá de esperar mais duas partidas para poder estrear. O argentino depende ainda de sua inscrição na CBF. O Corinthians tinha a esperança de conseguir regulamentar sua situação nesta quinta-feira, mesmo horas antes do jogo. Mas o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, disse nesta terça que a CBF só dará expediente na próxima segunda feira, a partir das 13 horas.

Agencia Estado,

08 de fevereiro de 2005 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.