Werther Santana|Estadão
Werther Santana|Estadão

Tite muda para Corinthians acabar com jejum de vitórias

Em Itaquera, time recebe Ponte Preta com Luciano no ataque e Cristian no meio de campo

VÍTOR MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

26 de maio de 2016 | 07h00

“Se eu fosse acomodado, não voltaria ao Corinthians.” Esse foi um dos desabafos de Tite na véspera do jogo contra a Ponte Preta, nesta quinta-feira, às 11h, em Itaquera. Fazia tempo que o time e o treinador não recebiam críticas e sofriam tanta pressão por uma vitória. Já são cinco jogos sem um resultado positivo (mais de um mês): quatro empates e uma derrota. Essa incômoda sequência gerou eliminações no Paulistão e na Libertadores, e um início ruim no Campeonato Brasileiro.

A torcida cobrou, reclamou na porta do CT, em concentração de hotel, e fez até reunião com um grupo de jogadores, algo considerado “cultural no clube”, como disse um dirigente. Nada deu resultado prático. Tite tenta consertar os problemas do time dentro de campo. Tirou quem está em má fase, colocou no banco jogador consagrado, mudou atletas de posição e deu chance a quem estava esquecido. É o que o técnico chama de reconstrução.

“Remontar um time é complicado. Talvez o próprio histórico e meu próprio trabalho mostrem o que eu peço: me ajudem”, disse o treinador mais vitorioso da história do clube, pedindo um comportamento mais carinhoso dos fãs. “O torcedor está mais impaciente que nos anos anteriores, não sei se foi pelas conquistas (recentes). Ele já não absorvem o primeiro, o segundo erro. Mas são alguns, não a maioria.”

A primeira mudança drástica no time começou na posição mais crucial: o gol. Cássio virou reserva e Walter assumiu o posto de titular. O início, contudo, não foi bom: derrota para o Vitória por 3 a 2, no Barradão.

Perder em Salvador após jogar um bom primeiro tempo, quando vencia por 2 a 1, obrigou Tite a mexer ainda mais no time. André, um dos mais criticados pela torcida, deu lugar a Luciano, atacante que tinha colocado Love no banco de reservas até sofrer uma lesão séria no joelho.

Outro que ressurgiu em meio à crise: o volante Cristian, suplente durante todo o ano passado e coadjuvante na campanha do título do Brasileirão. O Corinthians precisa resolver dois problemas de imediato. O primeiro deles é melhorar o poder ofensivo. Isso ficou claro na derrota para o Vitória, quando o time poderia ter decidido o jogo no primeiro tempo.

Arrumar o setor defensivo é a outra prioridade. A entrada de Cristian, mais primeiro volante que Bruno Henrique, tem o objetivo de dar mais consistência ao setor. Bruno Henrique, que permanece na equipe, assume a posição de Elias, que defende a seleção, como segundo volante.

Três jogadores cuidarão da armação: Guilherme, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel. Essa é outra aposta de Tite. “Vamos ter três jogadores de articulação e um de velocidade (Luciano). São ajustes fundamentais”, afirmou o treinador.

Ninguém no Corinthians fala, abertamente, que é impossível vencer o Campeonato Brasileiro. Mas o real objetivo, hoje, é terminar a competição dentro do G-4. Tite sabe que, para isso, é necessário engrenar uma sequência de bons resultados neste momento. E não perder mais pontos em casa, como ocorreu na estreia, contra o Grêmio.

“Equipe campeã se constrói ao longo do campeonato. Ano passado, nós construímos e nos reinventamos”, disse Tite, que conquistou dois brasileiros pelo clube, em 2011 e 2015.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS: Walter; Fagner, Felipe, Vilson e Uendel; Cristian, Bruno Henrique, Marquinhos Gabriel, Guilherme, Giovanni Augusto; Luciano. Técnico: Tite.

PONTE PRETA: João Carlos; Jeferson, Douglas Grolli, Kadu e Reinaldo; João Vitor, Matheus Jesus e Ravanelli; Felipe Azevedo, Clayson e Wellington Paulista. Técnico: Eduardo Baptista.

Árbitro:Elmo Alves Resende Cunha (GO).

Local: Arena Corinthians.

Horário: 11h.

TV: Premiere FC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.