Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Tite pede cautela com Vinícius Júnior na seleção após gol do título da Liga dos Campeões

Técnico do Brasil reconhece que elogios dão confiança ao jogador do Real Madrid, mas expectativa em excesso pode ser prejudicial

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

01 de junho de 2022 | 10h23

Tite pediu cautela nesta quarta-feira com jogadores jovens da seleção brasileira, como Vinícius Júnior e Raphinha, que brilharam na última temporada europeia. O primeiro ganhou as manchetes do mundo todo nos últimos dias por ter marcado o gol do título do Real Madrid na Liga dos Campeões, enquanto o segundo despontou na Inglaterra defendendo as cores do Leeds.

"Calma com Vinícius Júnior, calma com Raphinha, calma com Neymar", disse o treinador, ao ser questionado sobre o eventual protagonismo de Vinícius na Copa do Mundo do Catar. Para Tite, os elogios ao jogador ajudam na confiança e contribuem para aliviar a pressão concentrada sobre Neymar. Mas não podem ser exagerados.

"Divide-se os protagonismos na seleção, divide-se os 'Juninhos da vida' para ser o jogador que define lá na frente. Discernimento, sensatez, calma. É bom fomentar esse grau de confiança, sim", declarou. "(Temos que) Olhar com mais discernimento essa situação toda, se não gera expectativa: 'Ah, tu tem que arrebentar, decidir todos os jogos'. Não é assim."

Tite confirmou que Vinícius Júnior será a primeira opção para eventual substituição de Neymar no amistoso desta quinta-feira, com a Coreia do Sul, em Seul. O atacante do Paris Saint-Germain levou um pisão no pé direito, que ficou inchado e será reavaliado antes do jogo.

No treino desta quarta, o treinador escalou Philippe Coutinho para substituir Neymar. Mas, na entrevista coletiva, ele confirmou que a prioridade é Vinícius, quebrando uma regra que o próprio técnico impôs: a de não usar neste primeiro amistoso os jogadores que estiveram na final da Liga dos Campeões, no sábado passado - eles só se apresentaram na terça e tiveram pouco tempo de treino com a seleção.

"As opções são Coutinho ou Vini. Desde que o Vini tenha uma resposta boa, que durma bem e relate isso ao departamento médico e físico e diga que está bem e está legal. Não vamos colocar a saúde do atleta em detrimento à performance do jogo, independentemente da importância dele para o Brasil e para o Real", declarou Tite.

Ele avisou outra exceção será Casemiro, que também defendeu o Real Madrid e foi campeão no sábado. "Inicialmente, ninguém que jogou a final da Champions iria para o jogo. Exceção foi feita ao Casemiro em função de tudo que conversei com ele, pelas avaliações físicas e pelo biotipo dele, ele é bem dotado fisicamente, tem muita força. Isso proporcionou a possibilidade de utilização ele, de ele ser uma exceção", explicou o técnico.

Tite, que confirmou Daniel Alves como capitão da seleção, valorizou a importância do amistoso com a Coreia do Sul, que pode vir a ser o eventual adversário da seleção nas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar, que será disputada entre novembro e dezembro deste ano. O amistoso está marcado para as 8h desta quinta, pelo horário de Brasília.

"É uma preparação importante, é um momento decisivo porque termina uma fase de eliminatória e passa para uma outra situação, que é de quatro jogos até a definição ali na frente (dos convocados para a Copa). Tem a concorrência para os jogadores que querem ir. Eles competem, sim. A diferença é a lealdade com que fazem isso. Queremos fomentar isso e dar oportunidades todos num enfrentamento de alto nível", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.