José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Tite pede paciência com Vagner Love e elogia evolução no Corinthians

'Ele está crescendo cada vez mais. Tudo o que prevíamos', afirma

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

25 Março 2015 | 07h24

Vagner Love ainda busca o seu primeiro gol com o camisa do Corinthians. O atacante já disputou oito partidas pelo Alvinegro, mas não conseguiu balançar as redes. Nesta terça-feira, na vitória por 2 a 0 sobre a Portuguesa, no Itaquerão, pelo Campeonato Paulista, o atacante esteve muito perto de acabar com o jejum em duas oportunidades. Na primeira, o goleiro Rafael Santos fez grande defesa. Depois, Love acertou a trave.

O técnico Tite pediu paciência com o atacante e elogiou a evolução do atleta desde a sua contratação, no mês passado. Love estava no futebol chinês e chegou ao Parque São Jorge fora de forma e sem ritmo de jogo. "Ele está crescendo cada vez mais. Tudo o que prevíamos. Não tem gol ainda, mas vai sair naturalmente. Ele não é egoísta", disse Tite.

Tite destacou também que o atacante, assim como Luciano, que foi o seu companheiro de ataque diante da Portuguesa, não pode deixar que a ansiedade atrapalhe e, por isso, pede naturalidade aos jogadores. "Fica no anseio de fazer o gol. São momentos. Importante continuar trabalhando como está. Até brinquei com eles para relaxar, ri um pouco do erro para ter mais naturalidade. O importante é persistir", disse.

O Corinthians está invicto há 18 jogos na temporada. A única derrota da equipe no ano foi no amistoso contra o Colônia, da Alemanha, em janeiro. Tite, no entanto, faz questão de dividir os méritos da boa fase do time. "Não é minha equipe, isso é muito egoísmo. Conseguiu montar elenco forte e o time faz a melhor campanha dos últimos 45 anos de Campeonato Paulista, desde 1970. É mérito de uma equipe de trabalho."

O Alvinegro volta a campo na quinta-feira, quando recebe a Penapolense no Itaquerão. Os jogadores que atuaram diante da Portuguesa ganharão descanso e será a vez de os titulares entrarem em campo.


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.