Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Tite pode garantir Brasil na Copa do Mundo pela segunda vez seguida na casa do Corinthians

Em 2017, seleção brasileira se classificou para o Mundial da Rússia após vencer o Paraguai na Neo Química Arena por 3 a 0. Desta vez, o adversário a ser enfrentado no palco corinthiano será a Colômbia

Redação, Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2021 | 09h27

Tite planejou virar o ano com a vaga para a Copa do Mundo do Catar garantida e está a um passo de concretizar sua missão. Basta ganhar o próximo jogo, diante da Colômbia, na Neo Química Arena, casa onde ele se destacou no comando do Corinthians e na qual já havia levado a seleção brasileira ao Mundial da Rússia, após 3 a 0 no Paraguai, em 2017.

Foi na Neo Química Arena que Tite recebeu a última taça no comando de um clube antes de ser convidado para dirigir a equipe nacional. O treinador ganhou o Brasileirão de 2015. No ano seguinte, foi confirmado como comandante da equipe nacional. Lá, em março de 2017, levou a seleção aos 33 pontos nas Eliminatórias e, pouco tempo depois de vencer os paraguaios com gols de Philippe Coutinho, Neymar e Marcelo, festejou a classificação com derrota do Uruguai para o Peru.

Líder com tranquilidade, a seleção brasileira necessita de apenas mais uma vitória na atual edição das Eliminatórias para confirmar ao menos o quarto lugar, suficiente para a vaga. O jogo é um confronto direto e serviria para o Brasil não ser mais alcançado pelos colombianos, o que garantiria ao menos a quarta colocação.

Ganhar significa abrir 18 pontos sobre a Colômbia restando somente cinco rodadas, ou 15 pontos em disputa. O Chile, hoje em sexto, só chega no máximo aos 31. Cravar a vaga no Catar significa ao técnico Tite a possibilidade de fazer mais testes na equipe.

A confiança na classificação para a próxima janela é tão grande que já há agendada uma viagem de comitiva da seleção brasileira ao Catar, no fim do ano, para avaliar hotéis para a concentração no país da Copa e possíveis locais de treinamentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.