FelipeRau/Estadão
FelipeRau/Estadão

Tite quer manter elenco, mas titulares podem deixar o clube

Felipe e Malcom são alvos de clubes europeus e Ralf negocia

VITOR MARQUES, O ESTADO DE S. PAULO

07 de dezembro de 2015 | 07h00

O técnico Tite prevê uma Copa Libertadores ainda difícil em 2016 com a presença dos rivais São Paulo e Palmeiras e iniciou conversas com a diretoria para que a base do time campeão Brasileiro seja mantida. "Não é o Tite que está dando recado. É ideia nossa, dos atletas permanecerem. É formar equipe. Fizemos isso esse ano e vamos para um segundo estágio", disse ele após empate por 1 a 1 diante do Avaí na última rodada do campeonato.

O planejamento da próxima temporada será comandado pelo presidente Roberto de Andrade e pelo ex-presidente Andrés Sanchez. Os dois estão à frente das principais negociações. "A partir de agora, a gente começa a estudar. Mas o que o Corinthians busca é manutenção de sua equipe", afirmou Tite.

Alguns jogadores, no entanto, receberam sondagens do futebol europeu e podem deixar a equipe. O zagueiro Felipe, por exemplo, admitiu neste domingo, uma possível transferência para o Mônaco.

 

"Meu empresário me passou umas coisas. Existe uma conversa. É um grande clube, um lugar ótimo para morar", afirmou o zagueiro. Felipe, no entanto, deixou claro que tem contrato com o Corinthians até 2018.

O atacante Malcom mais uma vez vê seu nome envolvido em especulações. No mês passado, o jornal português A Bola publicou reportagem bancando o interesse do Benfica no atacante de 18 anos.

Já a permanência de Ralf é dada como certa pela diretoria, mas o jogador ainda adota cautela. "Não está nada certo", afirmou o jogador neste domingo. O clube ofereceu um contrato de dois anos, mas valores de salário e luvas ainda não foram definidos.

Renato Augusto tem contrato por mais uma temporada, mas a diretoria pretende antecipar a renovação. Um dos destaques do time na temporada, Renato poderia virar alvo de equipes da Europa.

O Corinthians ainda não acertou oficialmente com nenhum jogador para a próxima temporada. Contratações deverão ser pontuais, sem grandes investimentos.

"Podemos dizer que a situação financeira para 2016 será mais tranquila comparada ao ano de 2015. Mas temos de continuar com os pés no chão. Temos de continuar do jeito que estamos fazendo, sem fazer loucura, mas deixar o time  mais forte", disse o presidente Roberto de Andrade à Rádio Bandeirantes.

 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansBrasileirãoTitefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.