Tite quer manter Jorge Henrique e ainda pede reforços

Jorge Henrique é o assunto da vez no Corinthians. Com dificuldades para renovar o contrato do jogador, que vence no final do ano, o clube estuda alternativas. Temendo perder o atleta, que pode assinar um pré-contrato com qualquer outra equipe já em julho, a diretoria alvinegra articula uma troca com Grêmio. Iriam para o Olímpico Jorge Henrique e Morais. Douglas voltaria ao Parque São Jorge.

FÁBIO HECICO, Agência Estado

27 de maio de 2011 | 18h50

Pesa favoravelmente ao atacante o respaldo que ele tem de Tite. O treinador não abre mão de Jorge Henrique, ainda que atualmente o jogador esteja na reserva da equipe. "Há mais de um mês, pedi para ele permanecer e disse que ia falar para a direção. Deixei isso bem claro 45 dias atrás. A minha posição é de permanência", afirmou o treinador nesta sexta-feira, deixando claro que só a renovação não basta: "Sempre esperando pela vinda de outros atletas...".

Tite confirmou que espera pela chegada de pelo menos um reforço para o meio-campo. "Nós precisamos de jogadores que, num campeonato extenso, venham não como apostas mais. Que venham para competir, disputar posição e dar poderio técnico e competência ao time".

O treinador citou três reforços que chegaram ao clube ainda jovens. "Tem o período de adaptação para o cara botar a camisa do Corinthians. É um trabalho igual ao de Willian, Wallace, tem que passar por um período de adaptação. Weldinho da mesma forma. Agora tem que vir com experiência e qualidade maior".

Para o jogo deste domingo, contra o Coritiba, Tite encontrou um reforço no próprio elenco. Danilo foi alçado do ostracismo. "Não concentro 19 jogadores para deixar um fora do banco. Concentro 18 mesmo que um fique chateado. Foi assim com o Danilo. Ele começou o Paulista como titular, depois caiu e volta agora num novo momento", comentou o treinador.

Punido com a perda de um mando de campo, o Corinthians vai mandar o jogo de domingo na Fonte Luminosa, em Araraquara, interior do Estado. Campo desconhecido pela equipe, mas não pelo ex-jogador Tite. "Joguei em Araraquara. Faz tempo, mas joguei. Sei que era um tapete. No meu tempo era um campo de boa qualidade, espero que continue assim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.