Tite queria cancelamento da rodada

Um dia após a morte do zagueiro Serginho, do São Caetano, o clima era de velório no Corinthians. Ex-companheiros do jogador estavam desolados. O técnico Tite, que no início do ano dirigiu o time do ABC, chegou a pedir o cancelamento da rodada do fim de semana no Brasileiro. "Até por respeito, ninguém deveria jogar. Mas vão fazer as partidas porque aí todo mundo fala dos jogos e esquecem logo o episódio (da morte do atleta)", declarou o emocionado treinador. Além dos olhos marejados do inconsolável Tite - "o Serginho para mim era um exemplo de ser humano, bom jogador mas de virtudes pessoais infinitamente superiores" - e do silêncio do volante Fabinho, que, autômato, caminhava ao lado dos companheiros sem dizer uma única palavra, quem foi ao Parque São Jorge hoje à tarde viu uma cena que dispensa explicações. Zé Carlos, a pretexto de aprimorar a forma física, subiu sozinho para o campo do estádio Parque São Jorge, antes dos outros jogadores. Eram 16h30. Cabisbaixo, andou em círculos por muito tempo. Olhando o chão, meditando. Quando resolveu chutar a bola, bateu com força, contra a grade logo atrás do gol. Um chute mais forte que o outro, um com mais raiva que o outro. "Quando pisei no gramado me veio na hora a figura do Serginho. Fiquei triste, sem saber o que fazer, não acredito até agora no que aconteceu com ele", declarou o jogador. O hoje reserva no Corinthians conviveu um ano e três meses ao lado de Serginho. Abalado, diz que vai ter dificuldade em voltar a jogar. "Eu tenho medo. A gente vê tanta coisa acontecendo e se sente tão desprotegido...", admitiu Zé Carlos. Para ele, é difícil acreditar que um atleta tão vigoroso e alegre quanto Serginho possa ter morrido em campo. "Se aconteceu com ele, porque não pode acontecer com qualquer um? E não sou só eu que tenho esse receio, todos os jogadores estão com medo", concluiu Zé Carlos. Próximo jogo - A delegação voltou hoje de Criciúma, onde o time empatou ontem com o Criciúma. A próxima partida será sábado no Pacaembu, contra o Vitória. O técnico Tite espera a vitória para manter acesas as chances do clube em lutar por uma vaga na Libertadores de 2005. Gil e Edson cumpriram suspensão automática e tem presença garantida contra o Vitória. Alberto e Alessandro podem ficar à disposição do treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.