Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Tite diz não se abalar com críticas à seleção e revela dúvida sobre escalação de Allan

Técnico indica manutenção do time para a partida desta terça, contra o Uruguai, pelas Eliminatórias

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2020 | 13h47

O técnico Tite, da seleção brasileira, confirmou nesta segunda-feira a escalação da equipe para o jogo contra o Uruguai, terça, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O time a ser utilizado em Montevidéu será o mesmo da última partida diante da Venezuela. Há somente uma dúvida. O volante Allan está com problema clínico e pode dar lugar a Arthur, da Juventus. É o quarto compromisso do Brasil nas Eliminatórias. O time é líder, com 9 pontos e 100% de aproveitamento.

Allan sente dores musculares. Tite disse que essa dúvida só será resolvida horas antes do jogo. "A opção é do Arthur. Vamos definir. Fizemos o trabalho com os atletas. Arthur trabalhou nesses dias. Ainda precisamos de um processo de evolução e consolidação. Vamos ter uma exigência defensiva maior porque o Uruguai vai nos agredir", afirmou o treinador.

O Brasil treinou pela manhã no CT do São Paulo. À tarde, embarca para o Uruguai. Após três vitórias nas Eliminatórias diante de Bolívia, Peru e Venezuela, Tite admite que a equipe terá o compromisso mais difícil do torneio. Os uruguaios venceram semana passada a Colômbia por 3 a 0 fora de casa e são um adversário de mais qualidade. A preocupação especial é com a dupla de ataque Cavani e Suárez.

"Nas duas primeiras vitórias, criamos e fizemos gols. Na outro não deu pra jogar bonito, mas conseguimos a vitória. Talvez algumas dessas equipes que vencemos não briguem para classificar, mas podem atrapalhar outros times. Vamos enfrentar o Uruguai, é uma equipe que vem forte", comentou. Outro desafio de Tite será de montar uma seleção com uma proposta de jogo diferente da utilizada na sexta, diante dos venezuelanos.

Na vitória diante da Venezuela no Morumbi por 1 a 0, o Brasil sofreu com a forte marcação. Aposta de Tite é de que a defesa seja mais pressionada. "Diante do Uruguai será diferente. Vamos ser mais analisados defensivamente. Por outro lado, vamos ter mais espaço para criações ofensivas. São jogos que se caracterizam de maneiras diferentes." A vitória sobre a Venezuela levou a torcida a criticar o Brasil pelas redes sociais, em especial pela dificuldade de criar oportunidades de gol. Tite disse ter o conhecimento sobre esses comentários, mas garante não se sentir pressionado pelas cobranças de que a seleção tenha de apresentar um futebol mais bonito.

"Procuro ter discernimento e respeitar as opiniões. Temos condições de melhorar, estamos em processo de construção da equipe. O meu papel é fazer o melhor. Desde que não sejam informações erradas, o conceito e a opinião são de cada um", afirmou. Para a partida contra o Uruguai, às 20h desta terça, o Brasil deve ser escalado com: Ederson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Allan (Arthur), Douglas Luiz e Éverton Ribeiro; Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Richarlison.

CONFIRA OS PRINCIPAIS TEMAS DA ENTREVISTA

JOGO MAIS DIFÍCIL

Nas duas primeiras vitórias criamos e fizemos bastante gols. Na outro não deu pra jogar bonito, mas conseguimos a vitória. Talvez algumas dessas equipes que vencemos não brigam para classificar, mas podem atrapalhar outros times. Vamos enfrentar o Uruguai, é uma equipe que vem forte. É tradicionalmente um clássico.

TREINOS E DESFALQUES

É desafiador para todos nós esse processo. Fomos muito afetados. Mas são desafios. Nós temos a oportunidade de jogar, fizemos treinamentos específicos. Cada jogo é diferente. Enfrentar a Venezuela é uma proposta dentro de casa, agora diante do Uruguai será diferente. Vamos ser mais analisados defensivamente. Por outro lado, vamos ter mais espaço para criações ofensivas. São jogos que se caracterizam de maneiras bem diferentes.

SE JOGO SEM TORCIDA FAVORECE

O componente torcedor é essencial ao futebol pela atmosfera, pelo clima. Agora é impossível isso acontecer. Torcedor é um componente para os dois lados. Torcedor pode até gerar pressão caso a equipe não seja madura. Prefiro estar sempre com torcida, mas entendo momento.

CRÍTICAS À ATUAÇÃO

É muito difícil eu comentar. Procuro ter discernimento e respeitar as opiniões. Temos condições de melhorar, estamos em processo de construção da equipe. O meu papel é fazer o melhor papel possível. Desde que não sejam informações erradas, o conceito e a opinião são de cada um.

TIME TITULAR

Estamos com uma dúvida clínica apenas sobre o Allan. Os demais a gente busca ter as opções. Estratégia e posicionamento passa por um segundo momento. A estratégia de jogo passa por uma estratégia.

ALTERNATIVA PARA O ALLAN E O QUE PRECISA MELHORAR

A opção é do Arthur. Vamos definir essa situação. Fizemos o trabalho com os atletas. Arthur trabalhou nesses dias. Ainda precisamos de um processo de evolução e consolidação. Vamos ter uma exigência defensiva maior porque o Uruguai vai nos agredir mais.

IDENTIFICAÇÃO DA SELEÇÃO COM O PÚBLICO

Quando somos garotos, temos a admiração pela seleção brasileira. O que chamou a atenção em uma das nossas conversas é que o Gabriel Jesus revelou que viu o jogo da seleção mesmo de fora. É importante notar que somos pessoas humanas, que sentimos felicidade, nervosismo. É um contexto todo que tem, um lado emocional.

AVALIAÇÃO SOBRE ÓSCAR TABÁREZ

Temos de reverenciar e respeitar. É muito difícil um profissional com toda a longevidade e respeito que emana. Os principais responsáveis não vencem a qualquer custo, mas sobre valores humanos. Para quem não conhece o futebol de maneira profunda parece demagogia. O Tabárez tem uma base moral, uma respeitabilidade muito grande, do professor e mestre que é, pelo respeito que cativa dos atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.